REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - ENFERMAGEM - ISSN 2526-5628 https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce <p>Revista: Funec Científica – Enfermagem é uma publicação semestral, das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul (Fisa), mantidas pela Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul (Funec).</p> FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA - Funec pt-BR REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - ENFERMAGEM - ISSN 2526-5628 2526-5628 A PESQUISA EM ENFERMAGEM E SEUS DESAFIOS https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2856 Edirlei Machado DOS-SANTOS ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 2 3 10.24980/rfcenf.v1i2.2856 ABORDAGEM DO HIV/AIDS NA TERCEIRA IDADE NAS ESTRATÉGIAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA E UNIVERSIDADE ABERTA À TERCEIRA IDADE https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2186 <p>A presente pesquisa teve como objetivo investigar o conhecimento dos idosos das Estratégias de Saúde da Família (ESFs) e da Universidade Aberta a Terceira Idade (UNATI) acerca do HIV/AIDS. Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa onde foi aplicado um formulário antes da educação em saúde realizada com os idosos. A maioria dos idosos entrevistados possui somente o ensino fundamental 37 (74%); em relação as formas de transmissões da doença, 84% dos entrevistados desconhecem que o HIV/AIDS atinge os idosos e relatam apresentar conhecimento sobre a doença, porém quando indagados a respeito dos sintomas, desconhecem. Referente à transmissão do vírus, 50% dos entrevistados acreditam que a contaminação se dá por meio de compartilhamentos pessoais, picadas de mosquito e contaminação por aproximação de indivíduos infectados. O HIV/AIDS no envelhecimento necessita de um maior aprofundamento com intuito de fornecer subsídios, tanto para cuidados com os portadores do vírus, como para o desenvolvimento de ações e programas de prevenção.</p> Thaisa Fernanda Queiroz SOUZA Anyelle Carla CUSTÓDIO Gabriela Basso KOOS Larissa Gonçalves FREITAS Silvia Regina BENITEZ Ana Paula Gonçalves FERREIRA ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 4 13 10.24980/rfcenf.v1i2.2186 CONHECIMENTO DO USO DO LEVONORGESTREL ENTRE ACADÊMICAS DOS CURSOS DE ENFERMAGEM E ODONTOLOGIA, EM UMA FACULDADE DO INTERIOR PAULISTA https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2181 <p>O estudo teve por objetivo avaliar o conhecimento do uso de levonorgestrel popularmente denominado “pílula do dia seguinte” pelas acadêmicas dos cursos de Enfermagem e Odontologia. Foi realizada uma pesquisa de campo, utilizando como método a aplicação de um questionário contendo 07 questões sobre o tema proposto. Baseado no critério de inclusão, foram selecionadas 58 universitárias sendo todas maiores de 18 anos. Verificou-se que 90% das universitárias conheciam o método contraceptivo levonorgestrel. O conhecimento sobre o método se deu por meio de diversas respostas, entre elas, 32% conheceram o método por meio de profissionais da saúde, 26% por amigos e 17% por meio da internet. Contudo, em relação à utilização do método, 70,5% já utilizaram várias vezes, porém a maioria adquiriu sem receita ou orientação profissional. Os dados revelam que o método está sendo utilizado de forma insegura por sua aquisição facilitada, o que possibilita o uso consecutivo sem orientações profissionais, podendo causar posteriores danos à saúde.</p> Jussara Britto Batista GONÇALVES Francisco de Assis SILVA Rafaela Matos de CARVALHO ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 14 24 10.24980/rfcenf.v1i2.2181 DENSIDADE DEMOGRÁFICA E RENDA PER CAPITA: INDICADORES SOCIAIS QUE INFLUENCIAM NOS CASOS DE DENGUE EM UMA CIDADE DO INTERIOR PAULISTA https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2704 <p>A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no Brasil e no mundo, tendo como vetor transmissor o mosquito Aedes aegypti, cuja proliferação apresenta forte relação com fatores sociais. Sabendo que o município de Fernandópolis encontra-se entre os 25% dos municípios paulista com maiores números de casos de dengue e os fatores sociais são decisivos neste processo, o presente estudo tem como objetivo avaliar a influência de indicadores sociais nos casos positivos de dengue nesse município. Trata-se de pesquisa exploratória, com dados secundários, por meio de modelos matemáticos, utilizando a variável dependente (casos positivos de dengue) sobre as variáveis independentes (densidade demográfica e a renda bruta per capita), a pesquisa contou com a análise de 40 bairros no ano de 2011. E o desfecho mostrou que os bairros superpovoados e bairros com poucas construções favoreceram casos positivos de dengue. Sendo que a menor incidência de casos positivos ocorreu nos bairros com densidade demográfica média de aproximadamente 4800 hab km<sup>-2</sup>. Também observou-se que os casos de dengue tenderam a reduzir com o aumento da renda bruta per capita média, com 01 caso 1000<sup>-1</sup> hab<sup>-1 </sup>para R$ 67,00 hab<sup>-1</sup> mês<sup>-1</sup>.</p> Claudia Lucia LIMA Erika Cristina Silva Batista QUEIROZ Geraldo José SANT'ANNA Luiz Sergio VANZELA ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 25 37 10.24980/rfcenf.v1i2.2704 O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS SOBRE GERENCIAMENTO DE CONFLITOS EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO INTERIOR DE SÃO PAULO – SP https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2283 <p>O objetivo do presente estudo é analisar o conhecimento dos enfermeiros de um hospital de médio porte do interior do estado de São Paulo, sobre Gerenciamento de conflitos em Enfermagem. Trata-se de uma pesquisa de campo exploratória quantitativa e teve como cenário um hospital de médio porte do interior do estado de São Paulo. Os participantes foram enfermeiros de ambos os sexos, sem limite de faixa etária que assinaram o termo de consentimento em participar da pesquisa e que não estavam de férias ou afastados. Diante dos dados apresentados em nossa pesquisa, evidenciamos como pontos principais que 75% dos enfermeiros não se sentem plenamente preparados para lidar com situações de conflitos, mesmo assim 68,75% nunca buscaram capacitação na área, o que acaba por agravar o problema, pois 93,75% dos enfermeiros acreditam que os conflitos têm uma importância significativa dentro do processo de trabalho das equipes. Observamos também que se trata de profissionais experientes. Sabe-se ao final deste trabalho que os conflitos são frequentes e os enfermeiros ainda lidam com eles sem fundamentação teórica que os ajude a gerenciar, efetivamente e de forma profissional, as demandas geradas no ambiente de trabalho, o que pode influenciar negativamente no clima organizacional.</p> Taise Jordão ZANZARINI Nathalia Silva AMARAL Thais Regina LEDESMA Edzangela de Almeida BEZERRA ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 38 45 10.24980/rfcenf.v1i2.2283 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ÓBITOS POR QUEIMADURA NOTIFICADOS EM DIFERENTES REGIÕES DO BRASIL NO ANO DE 2014 https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2434 <p>As queimaduras constituem um grande problema de saúde ocupando lugar de destaque entre os agravos de Saúde Pública e representando para as vítimas um sofrimento intenso caracterizado por internações longas e restritivas; com elevadas taxas de mortalidade e altos custos para os Serviços de Saúde.&nbsp;&nbsp; Este trabalho teve como objetivo caracterizar, descrever e quantificar o número de óbitos por queimaduras notificados pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS), em diferentes regiões do País no ano de 2014. A busca pelas informações ocorreu entre os meses de Janeiro e Março de 2016, a partir de consulta dos dados sobre mortalidade por queimaduras, disponíveis no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). No ano de 2014, foi registrado no SIM/DATASUS um total de 2.602 mortes no Brasil por diversas causas de queimaduras. Observou se que a grande maioria dos óbitos ocorreu por corrente elétrica (58%) e que as regiões com maior número de vítimas foram a região Sudeste (48%) e a região Nordeste (42%). Em relação à faixa etária, as ocorrências foram mais prevalentes entre pessoas de 20 a 49 anos (62%), geralmente indivíduos do sexo masculino. Os dados obtidos neste trabalho são similares aos disponíveis na literatura e evidenciam a importância da prevenção para diminuir as taxas de morbimortalidade causadas pelas queimaduras, bem como para planejamento de ações e intervenções para o enfretamento desse problema.</p> Ana Paula Devolio Novo SANCHES Maria Aparecida do Carmo DIAS ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 46 57 10.24980/rfcenf.v1i2.2434 VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS: AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE PROFISSIONAIS EDUCADORES NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL-SP https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=2151 <p>Escolas e creches são locais em que crianças permanecem por mais tempo, após o seio familiar, são nelas que as crianças reproduzirão o que vivenciam em casa. Dessa forma, a violência sofrida no lar reverbera nesse ambiente a cada dia. O objetivo do estudo foi analisar o conhecimento dos profissionais da educação sobre Violência Doméstica Contra Crianças no município de Santa Fé do Sul – SP. A pesquisa foi realizada durante a execução do Programa de Educação pelo Trabalho – Vigilância em Saúde (PET-VS). Trata-se de uma pesquisa descritiva e quantitativa a qual foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o CAAE 43003015.5.0000.5428. Foi aplicado um questionário. A amostra foi constituída por 55 mulheres apresentando idades que variam entre 20 a 65 anos, em sua maioria 49% com idades entre 30 a 39 anos. Em relação à ocupação profissional 7% eram diretoras, seguidos por 6% de coordenadoras pedagógicas e 87% de professoras. Houve pequena diferença entre as médias, mínimas e máximas das somas de acertos de pré e pós-treinamento, com evolução de 01 ponto na escala média. Por meio dos treinamentos, os educadores foram conscientizados e sensibilizados para a identificação e notificação de crianças vitimadas e assim garantir ações para que estas sejam encaminhadas e acompanhadas por profissionais especialistas, garantindo uma possível qualidade de vida na infância.</p> Elena Carla Batista MENDES Marizane LAWISCH Ueverton Camargo MORAES Carmem Costa MARTINS ##submission.copyrightStatement## 2018-03-22 2018-03-22 1 2 58 69 10.24980/rfcenf.v1i2.2151