PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ÓBITOS POR QUEIMADURA NOTIFICADOS EM DIFERENTES REGIÕES DO BRASIL NO ANO DE 2014

  • Ana Paula Devolio Novo SANCHES Centro Universitário de Votuporanga- UNIFEV
  • Maria Aparecida do Carmo DIAS Centro Universitário de Votuporanga - UNIFEV
Palavras-chave: Unidade de queimados, Causas de óbito

Resumo

As queimaduras constituem um grande problema de saúde ocupando lugar de destaque entre os agravos de Saúde Pública e representando para as vítimas um sofrimento intenso caracterizado por internações longas e restritivas; com elevadas taxas de mortalidade e altos custos para os Serviços de Saúde.   Este trabalho teve como objetivo caracterizar, descrever e quantificar o número de óbitos por queimaduras notificados pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS), em diferentes regiões do País no ano de 2014. A busca pelas informações ocorreu entre os meses de Janeiro e Março de 2016, a partir de consulta dos dados sobre mortalidade por queimaduras, disponíveis no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). No ano de 2014, foi registrado no SIM/DATASUS um total de 2.602 mortes no Brasil por diversas causas de queimaduras. Observou se que a grande maioria dos óbitos ocorreu por corrente elétrica (58%) e que as regiões com maior número de vítimas foram a região Sudeste (48%) e a região Nordeste (42%). Em relação à faixa etária, as ocorrências foram mais prevalentes entre pessoas de 20 a 49 anos (62%), geralmente indivíduos do sexo masculino. Os dados obtidos neste trabalho são similares aos disponíveis na literatura e evidenciam a importância da prevenção para diminuir as taxas de morbimortalidade causadas pelas queimaduras, bem como para planejamento de ações e intervenções para o enfretamento desse problema.

Referências

ALVES, U. D. B. Assistência de enfermagem ao paciente grande queimado na uti: um estudo bibliográfico. 32. f. 2013. Trabalho da Conclusão de Curso - Universidade Castelo Branco e Atualiza Cursos. Salvador - BA, 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 de mar. 2017.

BESSA, D. F. et al. Perfil epidemiológico dos pacientes queimados no Hospital Regional de Urgência emergência de Campina Grande, PB, Brasil. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v.10, n.1, p.73-80, 2006. Disponível em: . Acesso em: 03 de mar. 2017.

BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Cartilha para Tratamento de Emergências das Queimaduras. Brasília. Ministério da Saúde, 17p. ago. 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 de mar. 2017.

DATASUS. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2016.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.2

LEÃO, C. E. G. et al. Epidemiologia das queimaduras no Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, v.26, n.4, p.573-7, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 de mar. 2017.

LIMA, O. S.; LIMAVERDE, F. S.; LIMA FILHO, O. S. Queimados: alterações metabólicas, fisiopatologia, classificação e interseções com o tempo de jejum. In: CAVALCANTI, I. L.; CANTINHO, F. A. F.; ASSAD, A. Medicina Perioperatória. Rio de Janeiro: Sociedade de Anestesiologia do Estado do Rio de Janeiro / SAER, 2006. p. 804-815. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017.

MARTINS, C. L. et al. Estratégias de promoção de um ambiente de trabalho seguro para prevenção de queimaduras. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, v.5, n.1, p.1411-24, jan./abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017.

MELLO JORGE, M. H. P.; KOIZUMI, M. S.; TONO, V. L. Causas externas: o que são, como afetam o setor saúde, sua medida e alguns subsídios para sua prevenção. Revista Saúde. São Paulo, v.1, n.1, 2007. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017

MORESI, E. (Org). Metodologia da pesquisa. Brasília: PUC, 2003.

NISHI, P. K.; COSTA, E. C. N. F. Cuidados de enfermagem a pacientes vítimas de queimaduras: identificação e características clínicas. Revista UNINGÁ, Maringá – PR, n.36, p. 181-92 abr./jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017.

PORCIDES, A. J. Queimaduras e emergências produzidas por frio ambiental. In:______. Manual de atendimento pré-hospitalar – SIATE/CBPR. Curitiba - PR, 2006. p. 280 – 290.

ROSSI, L. A. et al. Queimaduras: características dos casos tratados em um hospital escola em Ribeirão Preto (SP), Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica [online], v.4, n. 1998. Disponível em: . Acesso: 03 mar. 2017.

SETTERVELL, C. H. C. et. al. Mortes evitáveis em vítimas com traumatismos. Revista Saúde Pública. v. 46, n. 2, p. 367-75, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017


TAVARES, C. S.; HORA, E. C. Caracterização das vítimas de queimaduras em seguimento ambulatorial. Revista Brasileira de Queimaduras, v.10, n.4, p.119-23, 2011. Disponível: . Acesso em: 03 mar. 2017.

VALE, E. C. S. do. Primeiro atendimento em queimaduras: a abordagem do dermatologista. Anais Brasileiros de Dermatologia, Rio de Janeiro, v. 80, n. 1, p. 9-19, Fev. 2005. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017

WERNECK, G. L.; REICHENHEIM, M. E.; CARPEGGIANI, R. Aspectos psicológicos das queimaduras. In: GOMES, D. R.; SERRA, M. C.; PELLON, M. A. Queimaduras. Rio de Janeiro: Revinter, 2006. p. 227-30.
Publicado
2018-03-22
Como Citar
SANCHES, A. P., & DIAS, M. A. (2018). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ÓBITOS POR QUEIMADURA NOTIFICADOS EM DIFERENTES REGIÕES DO BRASIL NO ANO DE 2014. UNIFUNEC CIÊNCIAS DA SAÚDE, 1(2), 46-57. https://doi.org/10.24980/rfcenf.v1i2.2434