REFORMA PSIQUIÁTRICA BRASILEIRA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

  • Thaisa Fernanda Queiroz SOUZA Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
  • Elena Carla Batista MENDES Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
  • Danielle Silva GARCIA Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
  • Camila Vicenssotti MENDES Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
  • Letícia Fernanda TORRES Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
Palavras-chave: Desinstitucionalização, Reforma psiquiátrica, Residência terapêutica

Resumo

A doença mental é um problema de saúde pública, havendo necessidade de programas para reabilitação dos doentes mentais. Com a reforma psiquiátrica, instituiu-se um novo modelo no tratamento dos pacientes portadores de algum tipo de transtorno mental no Brasil, o oferecendo tratamento em serviços de bases comunitárias que dispõe sobre a proteção e direitos das pessoas com transtornos mentais. O objetivo desta pesquisa foi identificar artigos científicos que trouxessem o tema abordado, visando aos principais fatos que a reforma psiquiátrica relata na literatura. Para o levantamento de dados, este estudo foi realizado nas bases de periódicos da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) acessando-se por meio do Sistema Latino Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde (LILACS), onde foram encontrados 953 artigos e 07 foram selecionados; no Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) foram encontrados 190 artigos e 02 foram selecionados; na Base de Dados da Enfermagem (BDENF) foram encontrados 259 artigos e nenhum foi selecionado. A revisão literária foi realizada no período de março a outubro de 2015. Empregaram-se os seguintes descritores: reforma psiquiátrica; residência terapêutica; desinstitucionalização. Entretanto, a reforma psiquiátrica brasileira permite oferecer ao paciente com diversos transtornos mentais um suporte complexo nos diversos atendimentos dos CAPS e residências terapêuticas, afim de desinstituicionalizar os manicômios e proporcionar aos pacientes uma reinserção social e com qualidade de vida eficaz.

Referências

ANTUNES, S. M. O.; QUEIROZ, M. S. A configuração da reforma psiquiátrica em contexto local no Brasil: uma análise qualitativa. Caderno de Saúde Pública, v.23, n.1, p.207-215, jan. 2007. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-439289>. Acesso em: 23 jun. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Dados referentes à reforma psiquiátrica: redução de leitos psiquiátricos e ampliação da rede extra-hospitalar. Portal da saúde. São Paulo, 2013. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Reforma.pdf>. Acesso em: 21 jun. 2015.

BRESSAN, V. R.; ESCATENA, M. C. M. O cuidar do doente mental crônico na perspectiva do enfermeiro: um enfoque fenomelógico. Revista Latino-americana de Enfermagem, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v10n5/v10n5a9.pdf>. Acesso em: 29 set. 2015.

CAMPOS, R.; FRASSETO, D. L. P. Ensino fundamental de 9 anos: análise da “política em uso”. 2014. 134 f.. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE, Joinville, 2014 Disponível em: <http://univille.edu.br/community/mestrado_ed/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Dissertacao_Dulcelina_da_Luz_Pinheiro_Frasseto.pdf&current=/Dissertacoes_turma_II>. Acesso em: 23 jun. 2015.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

FRAGA, M. N. O.; SOUZA, A. M. A.; BRAGA, V. A. B. Reforma psiquiátrica brasileira: muito a refletir. Acta Paulista Enfermagem, vol.19, n.2, p.207-211., 2006. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/por tal/resource/pt/lil>. Acesso em: 23 jun. 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HIRDES, A. A reforma psiquiátrica no Brasil: uma (re)visão. Revista de Ciência e Saúde Coletiva - Universidade de Garvataí; v.14, n.1, p.297-305, jan./fev. 2009. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud .org/portal/resource/pt/lil-502515>. Acesso em: 23 jun. 2015.

JORGE, M. R.; FRANCA, J. M. F. A associação brasileira de psiquiatria e a reforma da assistência psiquiátrica no Brasil. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v.23, n.1, p. 3-6, 2001. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbp/v23n1/a02v23n1.pdf>. Acesso em: 24 jul. 2015.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2005.

MIELKE, F. B. et al. Avaliação qualitativa da relação de atores sociais com a loucura em um serviço substitutivo de saúde mental. Revista Brasileira de Enfermagem, v.65, n.3, p.501-507, maio/jun. 2012. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-650650>. Acesso em: 24 jul. 2015.

OLIVEIRA, A. F. Centro de atenção psicossocial: um novo paradigma em saúde mental. 2007. 60 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Enfermagem). Faculdade de Ciências da Saúde – FACS. Brasília, 2007. Disponível em: <http://repositorio.uniceub.br/bitstream/123456789/2551/2/20373521.pdf>. Acesso em: 29 set. 2015.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Relatório sobre saúde no mundo em saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra: OMS, 2001.

PITTA, A. M. F. Um balanço da reforma psiquiátrica brasileira: instituições, atores e políticas. Ciências e Saúde Coletiva, v.16, n.12, p.4579-4589, dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2015.

PRANDONI, R. F. S.; PADILHA, M. I. C. S. A reforma psiquiátrica no Brasil: eu preciso destas palavras. Texto Contexto Enfermagem, 2004. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/por tal/resource/pt/lil>. Acesso em: 23 jun. 2015.

SOUZA, E. Reforma psiquiátrica: um grande desafio. Psicologia em Estudo, Maringá, 2000, v.5, n.1, p.45-63, 2000. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/ S1413-73722000000100004>. Acesso em: 24 jul. 2015.

VIEIRA FILHO, N. G. Sofrimento e desinstitucionalização. Construindo redes de apoio em saúde mental. Revista Mal-Estar e Subjetividade, Fortaleza, v.11, n.1, p.309-333, mar. 2011. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/psi-55715>. Acesso em: 21 jul. 2015.

Publicado
2018-08-22
Como Citar
SOUZA, T. F., MENDES, E. C., GARCIA, D., MENDES, C., & TORRES, L. (2018). REFORMA PSIQUIÁTRICA BRASILEIRA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. UNIFUNEC CIÊNCIAS DA SAÚDE, 2(3), 53-64. https://doi.org/10.24980/rfcenf.v2i3.2154

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##