VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS: AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE PROFISSIONAIS EDUCADORES NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL-SP

  • Elena Carla Batista MENDES Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Marizane LAWISCH Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Ueverton Camargo MORAES Enfermeiro Residente em Atenção Básica com Ênfase em Estratégia Saúde da Família da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto- FAMERP
  • Carmem Costa MARTINS Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
Palavras-chave: Aprendizagem, Crianças, Violência doméstica

Resumo

Escolas e creches são locais em que crianças permanecem por mais tempo, após o seio familiar, são nelas que as crianças reproduzirão o que vivenciam em casa. Dessa forma, a violência sofrida no lar reverbera nesse ambiente a cada dia. O objetivo do estudo foi analisar o conhecimento dos profissionais da educação sobre Violência Doméstica Contra Crianças no município de Santa Fé do Sul – SP. A pesquisa foi realizada durante a execução do Programa de Educação pelo Trabalho – Vigilância em Saúde (PET-VS). Trata-se de uma pesquisa descritiva e quantitativa a qual foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o CAAE 43003015.5.0000.5428. Foi aplicado um questionário. A amostra foi constituída por 55 mulheres apresentando idades que variam entre 20 a 65 anos, em sua maioria 49% com idades entre 30 a 39 anos. Em relação à ocupação profissional 7% eram diretoras, seguidos por 6% de coordenadoras pedagógicas e 87% de professoras. Houve pequena diferença entre as médias, mínimas e máximas das somas de acertos de pré e pós-treinamento, com evolução de 01 ponto na escala média. Por meio dos treinamentos, os educadores foram conscientizados e sensibilizados para a identificação e notificação de crianças vitimadas e assim garantir ações para que estas sejam encaminhadas e acompanhadas por profissionais especialistas, garantindo uma possível qualidade de vida na infância.

Referências

ALGERI, S. A violência infantil na perspectiva do enfermeiro: uma questão de saúde e educação. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre – RS, v. 26 n.3, p. 308-15, dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2015.

BARROS, A. P. M. Saberes docentes no contexto da educação infantil: a prática pedagógica em foco. 2015. 249 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifica universidade Católica, Campinas, 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2015.

BOUCHARD, E. M. et al. Psychological and health sequelae of childhood sexual, physical and psychological abuse. Rev Epidemiol Sante Publique, Canadá, v.5, n. 56, p. 333-44, Oct. 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Publicado no Diário Oficial da União em 16/7/1990 e retificado em 27/9/1990. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Linha de cuidado para a atenção integral à saúde de crianças e adolescentes e suas famílias em situação de violências: orientação para gestores e profissionais de saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, 2010. 104 p. Disponível em: Acesso em: 20 nov. 2014.

CEREZO, M. A.; PONS-SALVADOR, G. Improving child maltreatment detection systems: a large-scale case study involving health, social services, and school professionals. Child Abuse and Neglect Oxford. v. 28, n. 11, p. 1153-69, Nov. 2004. PMID: 15567021. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

CERISARA, A. B., Professoras de educação infantil: entre o feminino e o profissional. Campinas - SP: Cortez, 2002, Coleção Questões Nossa, 98.

DESLANDES, S. F., Atenção a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica: análise de um serviço. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.10, supl. 1, p.177-188, 1994. Disponível em: . Acesso em 19 maio 2015.

FRANCISCHINI, R.; SOUZA NETO, M. O., Enfrentamento à violência contra criança e adolescentes: projeto escola que protege. Revista do Departamento de Psicologia – UFF, Niterói - RJ, v. 19, n. 1, p. 243–252, 2007. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2015.

GRANVILLE-GARCIA, A. F. et al. Conhecimento e percepção de professores sobre maus tratos em crianças e adolescentes. Saúde e Sociedade. São Paulo, v.18. n.1, p.131-140, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

GONÇALVES, S. H.; FERREIRA, A. L. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. v. 18, n. 1, p. 315-319, jan./fev. 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

KRUG, E. G. et al. (Ed.). Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

SCHALL, V. T. Environmental and healt education for school – age children: a transdisciplinary approach. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. v. 10, n.2, p. 259-263, abr-jun. 1994. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.
Publicado
2018-03-22
Como Citar
MENDES, E. C., LAWISCH, M., MORAES, U., & MARTINS, C. (2018). VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS: AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE PROFISSIONAIS EDUCADORES NO MUNICÍPIO DE SANTA FÉ DO SUL-SP. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - ENFERMAGEM - ISSN 2526-5628, 1(2), 58-69. https://doi.org/10.24980/rfcenf.v1i2.2151