A MEDIAÇÃO NO DIREITO DE FAMÍLIA

Palavras-chave: Conflitos, Divórcio, Família, Mediação

Resumo

A presente pesquisa tem como objetivo demonstrar que a Mediação é a forma mais adequada de solução de controvérsias no Direito de Família. A Mediação Familiar é um procedimento no qual um terceiro conduz de maneira imparcial, buscando auxiliar no término de um conflito.  A solução de conflitos atual no Brasil não é adequada para os que procuram uma prestação jurisdicional rápida, efetiva e justa para seus problemas. Isso acontece, pois o Poder Judiciário encontra-se com excesso de demandas para as quais não possui estrutura suficiente para satisfazer os interesses da sociedade. Dessa forma, há uma procura frequente por incessantes recursos mais céleres e justos. Atualmente, a mediação é uma justiça alternativa que possui nova possibilidade de resolver os conflitos de família com o diálogo. Portanto, por se tratar de uma justiça econômica e, além disso, mais fugaz, busca a solução dos conflitos decorrentes de sua própria evolução e, consequentemente, as partes são respeitadas, em sua dignidade, através de métodos humanos, pois, além de estar mediando uma situação nos casos de Direito de Família, são necessários alguns cuidados especiais para que os próprios conflitantes entrem em um acordo entendendo que a melhor solução é o diálogo para buscar soluções conjuntas para os problemas. A metodologia utilizada para a presente pesquisa foi a revisão de literatura, através do método dedutivo, com fontes em doutrinas, artigos científicos, jurisprudências e monografias.

Referências

REFERÊNCIAS

ÁVILA, E.M. Mediação familiar. Formação de base. Florianópolis: TJSC. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 2004.

BRASIL. Lei nº 6.515, de 26 de dezembro de 1977. Regula os casos de dissolução da sociedade conjugal e do casamento, seus efeitos e respectivos processos, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L6515.htm. Acesso em: 10 dez. 2016.

BRASIL. Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10406.htm. Acesso em: 10 dez. 2016.

BRASIL. Código de processo civil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm>. Acesso em: 26

set 2016.

BRASIL, Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Reversão de guarda em prol dos pais biológicos já determinada em sentença transitada em julgado. Agravo de Instrumento: AI 70057654287 RS. Relator: Ricardo Moreira Lins Pastl, Data de Julgamento: 13 mar. 2014, Diário da Justiça, Brasília, 2014. Disponível em: http://tj-rs.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/114091545/agravo-de-instrumento-ai-70057654287-rs#comments. Acesso em: 10 dez. 2016.

BREITMAN, S; PORTO, A. C. Mediação familiar: uma intervenção em busca da paz. Porto Alegre: Criação Humana, 2001.

CACHAPUZ, R.R. Mediação nos conflitos e direito de família. Curitiba: Jaruá, 2003.

CACHAPUZ, R.R. Mediação nos conflitos e direito de família. Porto Alegre: Jaruá, 2006.

CALMON, P. Fundamentos da mediação e conciliação. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

DINIZ, M. H. Curso de direito civil brasileiro. São Paulo: Saraiva 2010.

MUSZKAT, M.E. Guia prático de mediação de conflitos em famílias e organizações. São Paulo: Summus, 2005.

NAZARETH, E. R. Mediação: o conflito e a solução. São Paulo: Arte pau brasil, 2009.

ROBLES, T. Mediação e direito da família. São Paulo: Ícone, 2009.

RODRIGUES JÚNIOR, W. E. A prática da mediação e o acesso à justiça. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.

SICA, L. Justiça restaurativa e mediação penal: o novo modelo de justiça criminal e de gestão do crime. Rio de Janeiro: Lumen Júris, 2007.

SILVA, J. R. A mediação e o processo de mediação. São Paulo: Paulistanajur Edições, 2004.

THOMÉ, L.M. B. Dignidade da pessoa humana e mediação familiar. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2010.

WAGNER, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento organizacional: criando vantagem competitiva. São Paulo: Saraiva, 2002.

Publicado
2019-04-16
Como Citar
Fachini Machado, M., & Stefanoni, L. R. (2019). A MEDIAÇÃO NO DIREITO DE FAMÍLIA. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - MULTIDISCIPLINAR - ISSN 2318-5287, 8(10), 1-11. https://doi.org/10.24980/rfcm.v8i10.3403