SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA

  • Denise Rossi FORESTO-DEL COL
  • Ana Caroline Pereira REAL
  • Isadora Maria LUPATINI
Palavras-chave: Esgotamento profissional, Docente, Ensino fundamental, Psicologia organizacional

Resumo

A Síndrome de Burnout ou Esgotamento Profissional trata-se de uma resposta ao estresse ocupacional crônico, caracterizada pelo esgotamento total das energias do indivíduo. Dessa forma, essa pesquisa objetivou investigar indicadores da Síndrome de Burnout em professores do Ensino Fundamental II de uma escola da rede pública municipal. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa de campo quantitativa, cujo procedimento adotado foi a aplicação do Questionário Sociodemográfico e também do questionário Maslach Burnout Inventory – versão para professores. Os instrumentos foram aplicados a 16 professores conforme o critério de inclusão que consistia em lecionar no mínimo três dias na instituição citada. Os resultados indicaram que 56,25% dos docentes apresentaram a Síndrome de Burnout instaurada, bem como prevaleceram níveis altos de Exaustão Emocional (75%) e Despersonalização (81,25%), e nível baixo em Realização Profissional (68,75%). A profissão docente está entre as profissões que mais oferece condições para o desenvolvimento da Síndrome de Burnout e, mediante os dados levantados, verificou-se que os resultados são preocupantes, o que torna imprescindível o papel do psicólogo organizacional, a fim de promover saúde e qualidade de vida no trabalho.

Referências

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. T. Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador.4.ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010.

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. T. Considerações sobre a Síndrome de Burnout e seu impacto no ensino. Boletim de Psicologia, São Paulo, v. 62, n. 137, p. 155 – 68, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017

CARLOTTO, M. S. Síndrome de Burnout em professores: prevalência e fatores associados. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v.27, n.4, p. 403-10, out/dez, 2011. Disponível em:. Acesso em: 10 ago. 2017

CARLOTTO, M. S; CÂMARA, S.G. Análise fatorial do Maslach Burnout Inventory (MBI) em uma amostra de professores de instituições particulares. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 9, n. 3, p. 499-505, set./dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2017

LOPES, A. P; PONTES, E. A. S. Síndrome de Burnout: um estudo comparativo entre professores das redes pública estadual e particular. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), São Paulo, v.13, n.2, p. 275 –81, jul/dez, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017

MASLACH, C.; JACKSON, S. E. The role of sex and Family in Burnout. Sex Roles, v.12, n.7/8, 1985. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2017.

MELEIRO, A. M. A. S. O stress do professor. In: LIPP, M. E. N. (Org). O stress do professor. 7.ed., Campinas: Papirus, 2012. Cap.1, p.11 -28.

OZDEMIR, Y. The role of classroom management efficacy in predicting teacher Burnout. Innovation, v.1, n.11, 2007. Disponível em . Acesso em: 22 jul. 2017.

REINHOLD, H. H. O. Burnout. In: LIPP, M. E. N. (Org). O stress do professor. 7. ed., Campinas: Papirus, 2012. Cap. 5, p. 63 – 80.

RIBEIRO, L. C. C; BARBOSA, L. A.C.R; SOARES, A. S. Avaliação da prevalência de Burnout entre professores e sua relação com as variáveis sociodemográficas. Revista de enfermagem do centro oeste mineiro (RECOM), Divinópolis, v. 5, n. 3, p. 1741-1751 set/dez, 2015. Disponível em:. Acesso em: 10 ago. 2017

RUIZ, J. A. Metodologia científica: guia para eficiências nos estudos. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SILVA, G.N; CARLOTTO, M. S. Síndrome de Burnout: um estudo com professores da rede pública. Psicologia escolar e educacional, São Paulo, v.7, n.2, p. 145-153, 2003. Disponível em:. Acesso em: 20 ago. 2017.
Publicado
2018-11-08
Como Citar
Rossi FORESTO-DEL COL, D., Pereira REAL, A. C., & Maria LUPATINI, I. (2018). SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - MULTIDISCIPLINAR - ISSN 2318-5287, 7(9). https://doi.org/10.24980/rfcm.v7i9.3354