COMPARAÇÃO ENTRE FILTROS TELA PARA CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREA URBANA PARA FINS NÃO POTÁVEIS

  • Estevan Henrique ULIAN
  • Cleber Alessandro RAMOS
  • Marcelo Jacomini Moreira da SILVA
Palavras-chave: Cisterna, Filtro, Reaproveitamento

Resumo

A escassez ou mau uso da água, bem como sua desuniforme distribuição geográfica e sazonalidade, gera déficit em diferentes situações ao redor de todo o planeta. Com o crescimento desordenado e o aumento do consumo de água desacelerado, surge uma alternativa para possível solução desse problema. A captação de água de chuva é uma solução que pode diminuir o consumo de água tratada fornecida pela concessionária, entretanto, existem desafios a serem vencidos, tais como a irregularidade da ocorrência das precipitações e a qualidade da água a ser captada e armazenada. Assim, o objetivo do trabalho é comparar a eficiência de três filtros-tela simples diferenciando-os na tela constituinte, definindo qual melhor se adaptou ao experimento. O estudo conta com análises de turbidez e pH, sendo coletadas as amostras antes e depois da passagem da água pelo filtro com um intervalo de 10 minutos entre uma coleta e outra. A concepção é criar um sistema de captação de água de chuva com simplicidade técnica, de baixo custo, composto por tubos PVC e um barril de 200 litros. A metodologia contará com análises de água pluvial para turbidez e pH utilizando-se tela filtrante, objetivando análises comparativas entre três filtros, diferenciando-os na tela filtrante. O estudo demonstrou que é possível obter água para reuso com valores de turbidez inferiores a 2,0 uT, tal como recomenda a norma técnica ABNT NBR 15.527/2007.

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15527: água de chuva: aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis – Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2007.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Censo demográfico. 2010. Disponível em: , Acesso em: 06 nov. 2017.

_____ Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde – FUNASA. Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS. Brasília, DF: Funasa, 2014.

_____ Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde – FUNASA. Saneamento domicilia: manual de instruções de uso das melhorias domiciliares. Brasília, DF: Funasa, 2014.

_____ Ministério da Saúde. Portaria nº2.914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. 16p.

BERTOLO, E. J. P. Aproveitamento da água da chuva em edificações. Porto, Portugal: Faculdade de Engenharia FEUP. 2006. 174 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental). Disponível em . Acessado em: 15 mar. 2017.

CHOVECHUVA. Manual para captação e utilização de água da chuva. Disponível em: Acesso em: 22 mar. 2017.

CRUZ, W. M.; BLANCO, C. J. C. Aproveitamento de água pluvial para fins não potáveis residenciais em Rio Branco, AC. Perspectiva. Online: Exatas & Engenhari., Campos dos Goytacazes, v.17, n.07, p.12 – 24, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2018.

ECOCASA tecnologias ambientais. Filtro horizontal (Acquasave/3P Technik). 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2017.

HELLER, L.; PÁDUA, V. L. Abastecimento de água para consumo humano. Minas Gerais: UFMG. 2006.

INSTITUTO de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Manual para captação emergencial e uso doméstico de água de chuva. São Paulo: IPT -, 2015. (Coleção IPT Publicações). Disponível em: < file:///C:/Users/mdlima/Downloads/1200-Manual_para_captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_AGUA_DA_CHUVA.pdf> . Acesso em: 15 mar. 20117.

JAQUES, R. C. Qualidade da água de chuva no município de Florianópolis e sua potencialidade para aproveitamento em edificações. 2005. 102 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, UFSC, Florianópolis, 2005. Disponível em: . Acessado em: 15 mar. 2017.

LIMA, J. E. F. W. Recursos hídricos no Brasil e no mundo. Planaltina: Embrapa cerrados, 2001.

MAY, S. Estudo da viabilidade do aproveitamento de água de chuva para consumo não potável. São Paulo, SP. 2004. 150 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Construção Civil) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Construção Civil, USP, 2004. Disponível em Acesso em: 13 mar. 2017.

PAZ, A. R., Hidrologia aplicada. Caxias do Sul, RS: UERGS. 2004. 184 f. (Disciplina Ministrada na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, para o curso de graduação em Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia na unidade de Caxias do Sul). Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.

RODRIGUES, A. B. F. Avaliação de um sistema comercial de tratamento de água de chuva. 2017. 91 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental) - Escola Politécnica, UFRJ, 2017.

SOARES, D. A. F. et al. Considerações a respeito da reutilização das águas residuárias e aproveitamento das águas pluviais e edificações. 12., Vitória, 1999. Anais. Vitória: ABRH, 1999. P.7. 1 CD-ROM apud MAY, S. Estudo da viabilidade do aproveitamento de água de chuva para consumo não potável. São Paulo, SP. 2004. 150 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Construção Civil) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Construção Civil, USP, 2004. Disponível em Acesso em: 13 mar. 2017.

SPERLING, M. V. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos: princípio do tratamento biológico de águas residuárias. 4. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

URBANO, E. Projeto experimental de aproveitamento de água da chuva com a tecnologia da minicisterna para residência urbana. 2014. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2017.
Publicado
2018-03-21
Como Citar
ULIAN, E. H., RAMOS, C. A., & Jacomini Moreira da SILVA, M. (2018). COMPARAÇÃO ENTRE FILTROS TELA PARA CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREA URBANA PARA FINS NÃO POTÁVEIS. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - MULTIDISCIPLINAR - ISSN 2318-5287, 6(8), 198-216. https://doi.org/10.24980/rfcm.v6i8.2861