GERENCIAMENTO DE RESÍDUO DE SERVIÇO DE SAÚDE DE UM HOSPITAL DO INTERIOR SULMATOGROSSENSE

  • Bruno César Martins de PAULA
  • Regis Sidmar Ferreira da SILVA
  • Thiago Rodrigo de SOUZA
  • Carmem Costa MARTINS
Palavras-chave: Gestão. Manejo. Meio ambiente.

Resumo

Resíduo é qualquer material considerado inútil, sem valor gerado pelo homem e descartado no meio ambiente. Os Resíduos Serviços de Saúde (RSS) é uma parte importante do resíduo sólido não pelo volume gerado, mas pelo seu potencial de risco à saúde e ao meio ambiente. O objetivo do presente estudo foi identificar o sistema de gerenciamento dos RSS do Hospital Fundação Estatal Saúde de Aparecida do Taboado. Foram analisadas as seguintes etapas do manejo: segregação, acondicionamento, identificação, transporte interno, armazenamento temporário e segurança ocupacional. Foram visitadas todas as unidades que compõem o hospital e pesado por quatro vezes durante um mês os RSS do grupo A, antes e após separação de resíduos possivelmente recicláveis considerados do grupo D. Identificou-se que são gerados resíduos dos grupos A, B, D e E, a segregação é feita corretamente somente resíduos do grupo A. A coleta interna e externa não oferece esforço excessivo ao funcionário, entretanto não é utilizado equipamento de proteção individual, as unidades não possuem entrada e saída exclusiva para a coleta, exceto o centro cirúrgico. Os abrigos dos resíduos não são adequados, porém são suficientes para armazenar a produção da semana, não possuem identificação e simbologia conforme orientado pela legislação. Os resultados permitem sugerir que o hospital realiza as etapas do manejo de forma parcial, necessitando assim de reestruturar o gerenciamento dos RSS.

Referências

REFERÊNCIAS

ABNT- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.004: Resíduos sólidos: classificação. Rio de Janeiro: 2004.

BIDONE, F. R. A. Resíduos sólidos provenientes de coletas especiais: eliminação e valorização. Rio de Janeiro: Abes, 2001. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/643/4/ Resíduos sólidos provenientes de coletas especiais: eliminação e valorizaçã.pdf

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 358, 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências, Diário Oficial da União, 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 de set. de 2014.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Resolução nº 005, 05 de agosto de 1993. Dispõe sobre o Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Portos, Aeroportos, Terminais Ferroviários e Rodoviários, Diário Oficial da União, 1993. Disponível em: . Acesso em: 19 de set. de 2014.


BRASIL, MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO (BR). Portaria nº 485, de 11 de novembro de 2005. Norma regulamentadora nº 32. Segurança e saúde no trabalho em estabelecimentos de saúde. Brasília, 2005.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. RDC nº 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o Gerenciamento dos Resíduos de Serviço de Saúde. ANVISA, 2004.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde. Brasília: ANVISA, 2006. Normas e Manuais Técnicos.

MARTINS, C. C. Eficácia do ozônio no controle de microrganismos isolados em resíduos de serviços de saúde. 2013. 106 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Camilo Castelo Branco, São Paulo.

NAIME, R.; SARTORI, I.; GARCIA, A. C. Uma abordagem sobre a gestão de resíduos de serviços de saúde. Revista Espaço para Saúde, Londrina, v. 5, n. 2, p. 17-27, 2004. Disponível em: . Acesso em: 19 de set. de 2014.

NOBUKUNI, M. C. Análise dos pontos críticos e de controle no gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde com vistas à minimização de riscos a saúde e impactos ambientais no município de Ilha Solteira – SP. 2011. 155 f. Dissertação (Mestrado) – Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, São Paulo, 2011.

PEREIRA. M. S.; ALVES, S. B.; SOUZA, A. C. S. et al. Waste management in non-hospital emergency units. Revista Latino-Americano de Enfermagem, v. 21, p. 259-66, 2013. Disponível em: . Acesso em 10 de out. de 2014.

RIBEIRO FILHO, V. O. Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. In: FERNANDES, A. T.; FERNANDES, M. O. V.; RIBEIRO FILHO, N. Infecção hospitalar e suas Interfaces na área da saúde 2.ed. São Paulo: Atheneu; 2000.

RISSO W. M. Gerenciamento de resíduos sólidos de saúde: a caracterização como
instrumento básico para abordagem do problema.1993. 118 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo,1993.

RUTALA, W. A.; ODETTE, R. L.; SAMSA, G. P. Manegement of infectious waste by us hospitals. The Journal of the American Medical Association, v. 262, p.1635-40, 1989. Disponível em: . Acesso em 9 de out. de 2013.

SILVA, C. E.; HOPPE, A. E. Diagnóstico dos resíduos de serviços de saúde no interior do Rio Grande do Sul. Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v.10, n. 2, jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 de set. de 2014.
Publicado
2018-03-21
Como Citar
Martins de PAULA, B. C., Ferreira da SILVA, R. S., de SOUZA, T. R., & Costa MARTINS, C. (2018). GERENCIAMENTO DE RESÍDUO DE SERVIÇO DE SAÚDE DE UM HOSPITAL DO INTERIOR SULMATOGROSSENSE. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - MULTIDISCIPLINAR, 6(8), 40-59. https://doi.org/10.24980/rfcm.v6i8.2857
Seção
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE