LEVANTAMENTO COMPARATIVO DE ZOOPLÂNCTON EM ÁREA DE PRODUÇÃO DE PEIXES E EM ÁREA NÃO OCUPADA POR SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO RIO PARANÁ (SANTA FÉ DO SUL – SP / RUBINÉIA - SP)

  • Gustavo Laranjeira de Melo SANTOS Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul-SP (FUNEC) http://orcid.org/0000-0003-3906-6202
  • Aline Rafaella CARDOSO
  • Paulo Henrique dos Santos ALVES
  • Eliana do Amaral GIMENEZ
Palavras-chave: Inventariamento. Rio Paraná. Zooplâncton. Impactos

Resumo

A utilização dos ecossistemas aquáticos para fins de lazer, diluição de resíduos líquidos e produção, promove interferências negativas que alteram a biota local. Os levantamentos de zooplânctons permitem detectar rapidamente alterações ambientais, visto que a poluição aquática cria um ambiente seletivo, provocando modificação na abundância e composição das comunidades zooplanctônicas, que respondem rapidamente às alterações no meio, devido ao seu curto ciclo de vida. O estudo objetivou inventariar e comparar a comunidade zooplânctonica em duas áreas distintas do rio Paraná, uma área de produção de peixes e outra não ocupada. As coletas foram realizadas mensalmente, com o auxílio de uma rede de plâncton de 68 µm. As amostras obtidas foram anestesiadas e reservadas em garrafas etiquetadas. Mediu-se os parâmetros físicos e químicos da água, como pH, transparência e o nível de turbidez. A identificação dos microrganismos foi realizada sob microscópio óptico utilizando-se chaves específicas. Observaram-se em ambas as áreas Copepoda, Cladocera e Rotifera. Na área de produção, encontrou-se Copepoda Diaptomus e Cyclops, Cladocera Alona, Camptocercus, Ceriodaphinia, Diaphanosoma, Dunhevedia e Simocephalus, e a variedade de Rotifera se mostrou em Philodina, Conochilus, Ascomorpha, Otostephanos, Mytilina, Collotheca e Keratella. Na área não ocupada, observou-se Copepoda Acartia, Diaptomus, Labidocera e Cyclops.  Foram identificados em Cladocera Alona, Ceriodaphinia, Bosmina e Daphnia e Rotifera apenas Ptygura. Verificou-se que as condições ambientais dos locais estudados variam naturalmente, porém a ação antrópica também incentiva tais variações, o que interfere na estrutura das comunidades zooplanctônicas. No entanto, seria inviável diagnosticar o grau de trofia dos ecossistemas.

Biografia do Autor

Gustavo Laranjeira de Melo SANTOS, Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul-SP (FUNEC)
Possui licenciatura plena em Ciências Biológicas pela Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul / SP. (FUNEC) 2015. Tem experiência na área de Ecologia de Zooplâncton, limnologia, macrófitas e algas atuando principalmente nos seguintes temas: manejo de macrófitas,efeito ambiental e rotinas experimentais de coleta e identificação de zooplâncton. Atualmente é aluno de Mestrado em Aquicultura do CAUNESP, e pesquisa sobre SUPLEMENTAÇÃO DE MACRÓFITA E MICROALGA NA DIETA DE PEIXE ORNAMENTAL, no Laboratório de Limnologia e Produção de Plâncton.

Referências

CESAR, A.; SILVA, S. L. R.; SANTOS, A. R. Testes de toxicidade aquática no controle da poluição. 1997. 37 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Biologia, Laboratório de Ecotoxilogia, Unisanta Universidade Santa Cecília, Santos, 1997. Cap. 10.

COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DIVISÃO DE ANÁLISES HIDROBIOLÓGICAS SETOR DE COMUNIDADES AQUÁTICAS. CETESB – L5.304.Zooplâncton de água doce: método qualitativo e quantitativo método de ensaio. São Paulo: Cetesb, 2000. 17 p. Disponível em: Acesso em: 16 set. 2015.

FERNANDO, C.H. (Ed.). A Guide to Tropical Freshwater Zooplankton: Identification, Ecology and Impact on Fisheries. Holanda: BackhuysPublishers, 2002. 289 p.

GAZULHA, V. Zooplânctonlímnico: Manual Ilustrado. Rio de Janeiro: Technical Books Editora, 2012. 151 p.

JARAMILLO-Londoño, J. C; PINTO-Coelho,R. M. Novo Atlas do Zooplâncton da Represa da Pampulha: Principais Grupos do Zooplâncton do Reservatório da Pampulha. Criada em 12 de outubro de 2011.

MARCELINO, S. C. Zooplâncton Como Bioindicadores Do Estado Trófico Na Seleção De Áreas Aqüícolas Para Piscicultura Em Tanque-Rede No Reservatório Da Uhe Pedra No Rio De Contas, Jequié – Ba. Programa de Pós-graduação em Recursos Pesqueiros e Aqüicultura da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco, jun. 2007. 59 p.

MEIRINHO, P. A. Ecologia do zooplâncton. [201-]. PPG Ecologia, Depto. de Ecologia, IB, USP, São Paulo, SP, Brasil. Disponível em: . Acessoem: 14 out. 2015.

NEVES, I. F. et al. Zooplankton community structure of two marginal lakes of the River Cuiabá (Mato Grosso, Brazil) with analisys of rotifera and cladocera diversity. BrazilianJournalofBiology, v. 63, p. 329-343, 2003.

PEREIRA, A. P. S.et al.Biodiversidade e estrutura da comunidade zooplanctônica na Sub-bacia Hidrográfica do Rio Poxim, Sergipe, Brasil. Ambi-agua, Taubaté, v. 6, n. 2, p.191-205, 2011.

SANTOS, R. M.; MOREIRA, R. A.; ROCHA, O. Composição E Abundância Do Zooplâncton Em Um Córrego Urbano. Ix Fórum Ambiental da Alta Paulista, Alta Paulista, v. 9, n. 3, p.18-32, 2013.

SOARES, M. P.; SILVA, W. M. Correlação entre a ocorrência de rotífera e as variáveis físicas e químicas do Rio Paraguai. Corumbá: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, MS, 2010. apudFIRMINO, G. A importância ecológica dos rotíferos. 2012. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciências Biológicas, Faculdade de Ciências e Tecnologias de Campos Gerais Curso de Ciências Biológicas, Campos Gerais, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2015.

TAVARES, L. H. S.; ROCHA, O. Produção de Plâncton (Fitoplâncton e Zooplâncton) para Alimentação de Organismos Aquáticos. São Carlos: Rima, 2003. 106 p.

VON SPERLING, M. V. Princípio do tratamento biológico de águas residuárias. IN: Introdução a qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 1996. 243 p. apud PEREIRA, R. S. Poluição Hidrica: Causas e consequências. Revista Eletronica de Recursos Hidricos, Pelotas, v. 1, n. 1, p.1-19, maio 2004. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2015.

WEFFORT, D. Paraná, um rio da Mata Atlântica. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2015.
Publicado
2018-11-30
Como Citar
SANTOS, G., CARDOSO, A., ALVES, P. H., & GIMENEZ, E. (2018). LEVANTAMENTO COMPARATIVO DE ZOOPLÂNCTON EM ÁREA DE PRODUÇÃO DE PEIXES E EM ÁREA NÃO OCUPADA POR SISTEMAS DE PRODUÇÃO DO RIO PARANÁ (SANTA FÉ DO SUL – SP / RUBINÉIA - SP). REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - MULTIDISCIPLINAR - ISSN 2318-5287, 7(9). https://doi.org/10.24980/rfcm.v7i9.2192

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>