GERMINAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DAS ESPÉCIES CARYOCAR BRASILIENSI CAMBESS (PEQUI), DIPTERYX ALATA VOGEL (BARU) E PELTOPHORUM DUBIUM (CANAFISTULA)

  • Gilson BARBARA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Dagmar Aparecida de Marco FERRO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Germinação, Dormência, Pequi, Baru

Resumo

INTRODUÇÃO: A dormência de sementes é um processo caracterizado pelo atraso da germinação, quando sementes, mesmo em condições favoráveis (umidade, temperatura, luz e oxigênio) não germinam. Os mecanismos de dormência estão relacionados à adaptação das espécies aos diferentes ambientes e às dinâmicas dos ecossistemas. Por esse motivo é preciso que a germinação ocorra no tempo ideal para garantir que as sementes encontrem ambientes favoráveis para desenvolver plantas adultas, tornando-se assim, um mecanismo natural de sobrevivência de algumas espécies. A quebra de dormência de sementes é o tratamento de sementes através da aplicação de diversos processos e substancias com objetivo de preservar ou aperfeiçoar seu desempenho, possibilitando um aumento de produtividade da cultura. Os estudos de superação de dormência são importantes tanto para espécies usadas em reflorestamento quanto para espécies de valor econômico. OBJETIVO: Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes tratamentos de quebra de dormência em sementes de pequi (Caryocar brasiliense Cambess), baru (Dipteryx alata Vogel) e canafistula (Peltophorum dubium). METODOLOGIA: As sementes foram submetidas a diferentes tratamentos que incluiu escarificação mecânica com lima, tratamento com Ácido Sulfúrico (H2SO4) em diferentes concentrações e diferentes intervalos de tempo além da imersão em água quente com diferentes temperaturas e intervalos de tempo. Foram mantidas algumas sementes sem tratamento (testemunha). Em seguida, as sementes foram acondicionadas em sacos plástico para mudas (balainhos) em dois diferentes substratos: areia grossa e húmus. Foram realizados todos os tratamentos para cada substrato. RESULTADO: Realizados os tratamentos, foi possível observar que até o presente momento apenas a técnica de escarificação mecânica nas sementes de canafistula apresentou resultado satisfatório, sendo que após 48 horas do tratamento pode-se observar o ponto de emergência nas sementes. CONCLUSÃO: As sementes de baru e pequi ainda estão em fase de observação e a canafistula também para os demais procedimentos. Portanto, os resultados ainda não são conclusivos.

Publicado
2018-05-24
Como Citar
BARBARA, G., & FERRO, D. A. de M. (2018). GERMINAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DAS ESPÉCIES CARYOCAR BRASILIENSI CAMBESS (PEQUI), DIPTERYX ALATA VOGEL (BARU) E PELTOPHORUM DUBIUM (CANAFISTULA). ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3241