VIVÊNCIA DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM SOBRE PRÁTICAS DE HIGIENE DAS MÃOS EM PRÉ-ESCOLARES DE CRECHE MUNICIPAL

  • Yasmim de Jesus Souza SARMENTO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Elizandréia Luzia da SILVA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Wéslei Henrique CRIVELLARO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Thaisa Fernanda Queiroz de SOUZA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Elena Carla Batista MENDES Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Educação em saúde, Criança, Lavagem das mãos

Resumo

INTRODUÇÃO: A prática de higienização das mãos em menores, importante elo entre os
desejos e as expectativas dos pré-escolares e responsáveis legais, a fim de adquirir uma vida
melhor, evitando a presença de micro-organismos circulantes no ambiente escolar. As
prevenções e promoções de saúde vinculadas às crianças é de grande valia para evitar o
processo patogênico infeccioso, dentre estes destacam-se diarreia, disfunção respiratórias
agudas e outras. OBJETIVO: Orientar e estimular a execução da prática de higiene das mãos
em pré-escolares de 3 à 5 anos de Escola Municipal de Período Integral (EMPI).
METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência realizado por discentes do Curso de
Enfermagem, em desenvolver o projeto de lavagem das mãos com crianças de 3 à 5 anos de
uma creche municipal do interior paulista. Para isto, utilizaram-se como estratégia atividades
didáticas, levando em consideração as necessidades das crianças, relacionadas as combate dos
micro-organismos em sala de aula; em seguida, as mesmas foram encaminhadas ao toalete, a
fim de realizar a prática individual passo-a-passo à respeito da técnica correta em uma única
vez. Como recursos didáticos foram utilizados cartazes, apresentação oral e técnica de tinta
guache. RESULTADO: Os resultados obtidos deste projeto foram satisfatórios, já que houve
ampla demonstração de interesse e participação dos menores, que demonstraram surpresa
diante de formas de aprendizagem, de modo lúdico, diferentes da vida cotidiana. Não houve
dificuldades na técnica proposta, já que a direção e educadores da creche, incentivam na
execução desta prática. CONCLUSÃO: Após a participação dos discentes com a prática de
higiene das mãos em menores, houve novas experiências de informações, ficando evidente
que o enfermeiro pode atuar como agente transformador e multiplicador de saúde nas creches.
Portando, este estudo possibilitou acrescentar ainda mais informações aos conhecimentos
humanos, positivando a qualidade de vida, de forma preventiva e evitando problemas futuros
em menores.

Publicado
2018-05-24
Como Citar
SARMENTO, Y. de J. S., SILVA, E. L. da, CRIVELLARO, W. H., SOUZA, T. F. Q. de, & MENDES, E. C. B. (2018). VIVÊNCIA DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM SOBRE PRÁTICAS DE HIGIENE DAS MÃOS EM PRÉ-ESCOLARES DE CRECHE MUNICIPAL. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3237