O USO DE ANTIMICROBIANO E NÚMERO DE INFECÇÕES HOSPITALARES PÓS E ANTE A CONTRATAÇÃO DE UM INFECTOLOGISTA EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO INTERIOR DE SÃO PAULO

  • Felipe De Oliveira ALVES Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Fábio Mendes CAMILO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Antibiótico, Saúde, Farmacologia, Infecção, Hospitalar

Resumo

INTRODUÇÃO: Antimicrobianos (ATB) correspondem a uma classe de fármacos que é
consumida frequentemente em hospitais e na comunidade. Entretanto, são os únicos agentes
farmacológicos que não afetam somente as pessoas que o utilizam, mas também interferem de
forma significativa no ambiente hospitalar devido à possível alteração da ecologia
microbiana. Baseado nisto e ao uso desenfreado e inconsciente dos profissionais e população
torna-se necessário o controle e direcionamentos destes fármacos. Superbactérias
desenvolvidas a partir do uso de antimicrobianos têm sido o gatilho para uma ação de controle
da ANVISA em conjunto com o Estado; a fim de evitar o desenvolver deste problema que
pode levar, às vezes ao surgimento de infecções hospitalares (IHs), que estão interligados à
exposição das bactérias ao princípio ativo dos ATB que as tonam mais fortes. OBJETIVO: O
presente estudo tem como objetivo proporcionar uma visão ampla do uso de ATB e da
necessidade de um microbiologista em uma unidade de saúde com competência a dispensar
medicamentos deste porte; e também avaliar a eficácia deste profissional frente ao seu dever
de controlar as IHs com restrição e direcionamento adequado dos ATBs. METODOLOGIA:
Foram coletados dados de um hospital de médio porte do interior de São Paulo sobre o uso de
ATBs pós e ante a adição de um profissional infectologista no quadro de funcionários através
do programa SPDATA no período de um ano. RESULTADO: Pode-se constatar que a
contratação de um profissional infectologista teve significante resultado na redução de ATBs
e IHs. CONCLUSÃO: Constatou-se que a inclusão de um profissional infectologista na
equipe hospitalar é de suma importância e contribui efetivamente no consumo de ATBs no
âmbito hospitalar.

Publicado
2018-05-24
Como Citar
ALVES, F. D. O., & CAMILO, F. M. (2018). O USO DE ANTIMICROBIANO E NÚMERO DE INFECÇÕES HOSPITALARES PÓS E ANTE A CONTRATAÇÃO DE UM INFECTOLOGISTA EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO INTERIOR DE SÃO PAULO. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3233