REMANESCENTES DE VEGETAÇÃO NA REGIÃO DE SANTA FÉ DO SUL – SP

  • Robson Silva dos SANTOS
  • Jair Lourenço DIAS JUNIOR
  • Jéverson Agostini de SOUZA
  • Maria Clara Sulato BRANCALHONE
  • Sandro Alves CORRÊA
Palavras-chave: Desmatamento, Biodiversidade, Fragmentos

Resumo

INTRODUÇÃO: A região noroeste paulista sofreu no decorrer da sua ocupação de amplo processo de desmatamento para abertura de áreas destinadas a agricultura e pecuária, restando poucos remanescentes de vegetação que são de extrema importância para a manutenção da biodiversidade faunística que utiliza como áreas de forrageamento e reprodução. A perda desses fragmentos de mata causa desequilíbrio ecológico instantâneo, causando a diminuição ou até mesmo a extinção de animais que depende desses fragmentos para sobreviver, a proteção das vegetações remanescentes está prevista na legislação brasileira no decreto nº 4.421, de 28 de dezembro de 1921, com as finalidades: artigo 3° (II) garantir a pureza e abundância dos mananciais aproveitáveis para a alimentação; (III) equilibrar o regime das águas correntes que se destinam não só as irrigações das terras agrícolas como também as que servem de vias de transporte e se prestam ao aproveitamento de energia; (IV) evitar os efeitos danosos dos agentes atmosféricos; (V) impedir a destruição produzida pelos ventos. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi analisar os fragmentos de vegetação na região de Santa Fé do Sul-SP. METODOLOGIA: O trabalho foi desenvolvido no território do município de Santa Fé do Sul -SP, utilizando imagens de satélite do programa Google Earth Pro do ano de 2016. Os fragmentos de vegetação foram identificados e suas áreas medidas. RESULTADO: Foram identificados vinte e seis fragmentos de vegetação nativa totalizando uma área de, aproximadamente, 1.040 hectares. CONCLUSÃO: Embora tenham sido identificados 1.040 hectares de fragmentos de vegetação, estes encontram-se desconectados dificultando o trânsito de animais, provocando o surgimento de subpopulações isoladas, que correm o risco de extinção regional. Assim, em função da importância dessas áreas para manutenção da biodiversidade ainda existirem, é necessário que estes fragmentos sejam preservados e que sejam criados corredores ecológicos conectando-os visando o estabelecimento de meta-populações.

Publicado
2018-05-28
Como Citar
Silva dos SANTOS, R., Lourenço DIAS JUNIOR, J., Agostini de SOUZA, J., Sulato BRANCALHONE, M. C., & Alves CORRÊA, S. (2018). REMANESCENTES DE VEGETAÇÃO NA REGIÃO DE SANTA FÉ DO SUL – SP. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3226