LEVANTAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE MICROALGAS EM UMA LAGOA DE TRATAMENTO DE SANTA FÉ DO SUL

  • Sanaily Carolini Gonçalves DALPOZ
  • Matheus Ortega COLA
  • Andreia Estela Moreira de SOUZA
Palavras-chave: Algas, Efluentes, Depuração

Resumo

INTRODUÇÃO: A composição de efluentes de estações de tratamento de esgoto (ETE) pode variar de acordo com sua origem, apresentando elevada quantidade de matéria orgânica ou altas concentrações de metais tóxicos, constituindo grave problema no meio ambiente e saúde. Um dos mecanismos que vem sendo alvo de estudos é a utilização de algas, normalmente encontradas em lagoas de maturação, com uma alternativa financeiramente viável para o tratamento de esgoto em estações de tratamento. OBJETIVO: Com base nisto, o presente trabalho objetivou analisar a presença de microalgas em uma ETE de Santa Fé do Sul, originárias do processo de eutrofização natural. METODOLOGIA: Para isso, foram coletadas três amostras de água, em partes diferentes da ETE, adicionadas em recipientes rotulados. As amostras foram analisadas no microscópio óptico para levantamento e identificação das algas presentes nas amostras. RESULTADO: Foram encontradas quatro espécies de algas, três delas do filo Chlorophyta: Chlorella; Spirogyra e Volvox; e uma espécie do filo Euglenophyta: Euglena, estando presentes em todas as amostras analisadas. Spirogyra é uma alga filamentosa com cloroplastos em espiral, presente em águas doces ricas em matéria orgânica. Chlorella é uma espécie unicelular, capaz de elevar rapidamente a quantidade de biomassa na presença de matéria orgânica abundante. Volvox é uma alga colonial abundante em água doce e Euglena é uma espécie de alga flagelada, móvel, de ambientes continentais, desenvolvendo-se, principalmente, em água com elevados teores de matéria orgânica, fósforo e nitrogênio, destacando-se como excelentes indicadores de águas poluídas. Embora as algas sejam autotróficas, a maioria delas possui capacidades heterotrófica, sendo importantes para a limpeza e depuração de cursos d'água. CONCLUSÃO: Conclui-se que as microalgas estão presentes na ETE de Santa Fé do Sul e contribuem como mecanismo depurador dos resíduos orgânicos, podendo constituir alternativas para outras metodologias de depuração se empregadas em maior quantidade e com mecanismo de retenção.

Publicado
2018-05-22
Como Citar
Gonçalves DALPOZ, S. C., Ortega COLA, M., & Moreira de SOUZA, A. E. (2018). LEVANTAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE MICROALGAS EM UMA LAGOA DE TRATAMENTO DE SANTA FÉ DO SUL. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3205