TESTE DE PROGÊNIES PARA FUTURO BANCO DE SEMENTES DE AROEIRA PARA REFLORESTAMENTO

  • Sabrina Cristina da Silva MIRANDA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Julio Cezar Ambrosiode MENEZES Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Dagmar Aparecida de Marco FERRO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Sementes, Aroeira, Reflorestamento

Resumo

INTRODUÇÃO: O reflorestamento de áreas com espécies nativas apresenta dificuldades
atualmente em encontrar no mercado sementes com qualidade genética, pois o corte
desmedido altera o sistema de reprodução das espécies. Uma estratégia para a a conservação e
melhoramento de espécies nativas é o banco de sementes, que após a polinização cruzada
entre melhores matrizes, garantem a recombinação gênica aumentando assim a variabilidade e
qualidade genética das sementes. A espécie Myracrodronurundeuva (Aroeira), planta nativa
da caatinga e cerrado, vive em ambientes secos sendo indicada para reflorestamento. É uma
espécie com grande valor econômico e encontra-se ameaçada de extinção devido à alta
exploração comercial. Por isso, é uma espécie que se enquadra na estratégia de conservação e
melhoramento genético por banco de sementes. OBJETIVO: Este trabalho objetivou um
levantamento da proporção sexual da população de Aroeira, para propor um desbaste e
seleção de matrizes para banco de sementes. METODOLOGIA: O estudo foi implantado em
Dezembro de 1987, na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Extensão, município de Selvíria-MS.
Para o presente estudo foi realizado uma análise (Agosto de 2017) com caminhada entre as
plantas de Aroeira e identificação visual planta a planta, de acordo com sua inflorescência,
sendo estas classificadas em: 0 = não floresceu, 1 = fêmea, 2 = macho, 3 = monoica, B =
broto, sendo selecionadas as que provavelmente vão para seleção de matrizes, as que vão para
desbaste e a proporção de macho e fêmeas. RESULTADO: A análise quantificou 1.354
indivíduos de Aroeira, em 43 linhas. Após identificação das quantidades variantes obteve-se:
225 não floresceram, 591 fêmeas, 503 machos, 20 monoicas e 15 brotos encontrando uma
proporção de 1,17:1 de fêmeas para macho. CONCLUSÃO: Conclui-se, portanto, que um
número maior de fêmeas em relação aos machos requer que se realize o desbaste, para
conseguir uma proporção de 1:1, considerada ideal.

Publicado
2018-05-21
Como Citar
Cristina da Silva MIRANDA, S., Cezar Ambrosiode MENEZES, J., & Aparecida de Marco FERRO, D. (2018). TESTE DE PROGÊNIES PARA FUTURO BANCO DE SEMENTES DE AROEIRA PARA REFLORESTAMENTO. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3134