GASTROPLASTIA: TRANSTORNOS MENTAIS E INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA

  • Bricia BENETTI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Flavia Vieira da SILVA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Hemersa PICOLI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Osmarina Albertti de Sousa VIEIRA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Rosângela Fátima da COSTA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Gastroplastia, Intervenção, Transtornos

Resumo

INTRODUÇÃO: A obesidade é uma patologia crônica de domínio progressivo, que, pelos
malefícios coligados, vem sendo classificada como uma das preponderantes dificuldades de
saúde pública da coletividade contemporânea de gênese metabólica e/ ou genética relacionada
ao excedente de adipose corpórea, que pode suscitar distúrbios. Com isso, a procura e a
realização de gastroplastias no Brasil aumentou consideravelmente. OBJETIVO: Esta
pesquisa tem como objetivo apresentar os fatores que podem levar pessoas que passaram por
gastroplastia, ou cirurgia bariátrica, a adquirir transtornos mentais. Dentre esses transtornos,
são comuns ao pós-operatório a ocorrência da depressão, da ansiedade, transtornos
alimentares com compulsão, transtorno bipolar, dentre outros. METODOLOGIA: Este estudo
tem como método de pesquisa a descritiva bibliográfica, realizado em sites de base de dados
eletrônicos. Logo, a pesquisa apresenta informações que podem auxiliar no processo de
conscientização de profissionais e serviços de saúde sobre a importância da intervenção
psicológica antes e após a realização da cirurgia bariátrica, sendo os aspectos psicossociais
muito relevantes, tais como exercício cognitivo, autoestima e qualidade de vida.
RESULTADO: Constatou-se, para estipular a habilitação de um solicitante à gastroplastia,
inúmeras composições da vida do usuário são consideradas pelo psicólogo. Nesse sentido, a
entrevista clínica e a testagem psicológica são o alcance do conhecimento sobre o
desempenho psicológico do entrevistado, para apontar contraindicações plausíveis, incentivos,
disposição e aspectos emocionais que podem influenciar o indivíduo a se ambientar após a
gastroplastia e as consequentes alterações em sua rotina. CONCLUSÃO: Assim, o êxito da
cirurgia é resultado de alteração de comportamento do usuário de uma competente
intervenção psicológica.

Publicado
2018-05-21
Como Citar
BENETTI, B., Vieira da SILVA, F., PICOLI, H., Albertti de Sousa VIEIRA, O., & Fátima da COSTA, R. (2018). GASTROPLASTIA: TRANSTORNOS MENTAIS E INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=3063