ATENÇÃO ODONTOLÓGICA EM PACIENTES COM ANEMIA FALCIFORME: REVISÃO DE LITERATURA

  • Jessica da Silva PENNA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Murilo Laet Ferreira RODRIGUES Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Caio SAMPAIO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Flávia da Silva PASCHINI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Ivana Maria Esteves MACIEL Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Protocolos, Anemia, Odontologia

Resumo

INTRODUÇÃO: Anemia drepanocítica, drepanocitose ou apenas anemia falciforme, são
termos utilizados para referir-se à uma doença genética e hereditária, considerada de carácter
endêmico no Brasil. A patologia consiste na falcização das hemácias, tendo como
consequência a diminuição da sua vida útil celular (de 120 para 20 dias); obstrução da
passagem circulatória, logo, a diminuição do transporte de oxigênio. Sua sintomatologia pode
exibir: hepatomegalia, palidez, insuficiência renal, insuficiência respiratória, cefaleia,
osteoporose, além de alterações no sistema nervoso central, acarretando em convulsões.
OBJETIVO: O presente trabalho teve o propósito de apresentar a anemia falciforme, bem
como ilustrar sua sintomatologia, etiopatogenia, além de protocolos de atendimento.
METODOLOGIA: Tratou-se de uma revisão de literatura em que foram utilizados como base
artigos de âmbito nacional e internacional, além de livros conceituados especializados na
referida área. RESULTADO: Mesmo a sintomatologia da doença não sendo patognomônica
para o seu diagnóstico, é essencial entendê-la, mas principalmente saber como deve ser a
abordagem do profissional odontológico e quais medidas terapêuticas devem ser tomadas
diante de tais pacientes. CONCLUSÃO: Tendo em vista os aspectos mencionados acima,
pode-se concluir que a anemia falciforme é um problema real no Brasil, que precisa ser
estudado com mais afinco pelos odontólogos com o intuito de entender melhor a maneira da
qual esta doença pode se manifestar, os riscos que os pacientes portadores podem correr, e
principalmente, compreender e especializar o protocolo de atendimento e precauções, de
modo que sejam conferidas aos pacientes a melhor abordagem possível, minimizando os
riscos de acidentes ou complicações frente aos procedimentos odontológicos necessários.

Publicado
2018-05-14
Como Citar
PENNA, J. da S., RODRIGUES, M. L. F., SAMPAIO, C., PASCHINI, F. da S., & MACIEL, I. M. E. (2018). ATENÇÃO ODONTOLÓGICA EM PACIENTES COM ANEMIA FALCIFORME: REVISÃO DE LITERATURA. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=2963