OSTEOMA: RELATO DE CASO CLÍNICO

  • Matheus Souza SANTOS Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Felipe Augusto Diniz LUCENA Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Henrique José Baldo de TOLEDO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Osteoma, Neoplasias, Óssea

Resumo

INTRODUÇÃO: O osteoma é considerado um tumor ósseo benigno e acometem comumente
os ossos do esqueleto craniofacial, sendo raramente encontrados em outras partes do corpo.
De crescimento lento, contínuo, indolor e de etiologia controversa. Geralmente é
diagnosticado em pacientes jovens no período da puberdade, nos exames radiográficos de
rotina ou quando assume um grande tamanho levando à assimetria facial. Os osteomas são
classificados quanto a localização radiográfica em três grupos: central, periférico e extraósseo.
No exame histológico, são classificados em dois tipos: compacto ou medular. No
primeiro, predomina osso lamelar denso e escasso tecido medular. No segundo, predomina
osso do tipo trabecular com abundante medula fibrogordurosa. Pacientes com sintomatologia
ou aumento de volume podem ter o seu tratamento cirúrgico indicado tanto pela dor quanto
pela dificuldade de mastigação ou por razões estéticas. CASO CLÍNICO: paciente do sexo
feminino, melanoderma, 21 anos de idade, com queixa de "nódulo", indolor, localizado na
face vestibular do rebordo alveolar na região do dente 33, e segundo a paciente, desconhecia o
surgimento e evolução da referida lesão. Foi realizada biópsia excisional e material
encaminhado para analise histopatológica, confirmando diagnóstico de osteoma compacto,
pós operatório mostrou-se favorável. Paciente encontra-se em acompanhamento. OBJETIVO:
Eliminação da lesão óssea METODOLOGIA: Anestesia, incisão intrasulcular, incisão
relaxante, osteotomia com a broca 701, remoção do bloco ósseo com o cinzél, alisamento do
rebordo com lima para osso, irrigação, sutura, RESULTADO: Recontorno do rebordo
alveolar após eliminação da lesão. CONCLUSÃO: Osteoma periférico é um tumor
relativamente raro e o resultado histopatológico da lesão biopsiada define o diagnóstico, como
no caso realizado. O tratamento é realizado pela excisão cirúrgica com posterior
acompanhamento. O diagnóstico precoce evita crescimento exagerado da lesão.

Publicado
2018-05-14
Como Citar
SANTOS, M. S., LUCENA, F. A. D., & TOLEDO, H. J. B. de. (2018). OSTEOMA: RELATO DE CASO CLÍNICO. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=2961