NUTRIÇÃO PARENTERAL NEONATAL: GARANTIA DE SOBREVIDA PÓSNATAL PARA RECÉM-NASCIDOS DE ALTO RISCO

  • Viviane Carla Rota BONINI Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
  • Elisandra de Mello DÉO Centro Universitário de Santa Fé do Sul - Unifunec
Palavras-chave: Nutrição, Parenteral, Neonatal, Risco, Sobrevida

Resumo

INTRODUÇÃO: O ato de se alimentar é indispensável à vida humana, é através dele que o
sistema digestório pode desempenhar suas funções para correta digestão e absorção de
nutrientes. Pode ser realizado via oral, enteral ou parenteral, com equilíbrio em quantidade e
qualidade. Uma nutrição adequada é essencial ao organismo humano, principalmente no
período gestacional, onde ocorrem intensas alterações para formação do organismo fetal. Um
meio intrauterino adequado evitará que o recém-nascido seja de alto risco, com necessidade
de nutrição parenteral. OBJETIVO: Analisar a aplicação da nutrição parenteral neonatal,
assim como os cuidados, riscos e benefícios relacionados à sua introdução como via alimentar
total ou parcial. METODOLOGIA: O trabalho foi realizado por pesquisador individual, com
base em pesquisa qualitativa, através de revisão de literatura, por meio de artigos, sites,
periódicos e livros referentes à temática. RESULTADO: Diversos estudos relatam que o
recém-nascido de alto risco, com trato gastrointestinal afetado e déficit em absorção de
nutrientes, exige uma intervenção nutricional mais criteriosa, visto que em alguns casos a
ingestão alimentar via oral e enteral torna-se insuficiente ou impossível, sendo imprescindível
a introdução de nutrição parenteral, que garante uma absorção rápida e eficaz de nutrientes,
exigindo atenção especial ao bebê em tratamento nutricional, por equipe multiprofissional,
composta por profissionais especializados, incluindo o nutricionista, por ser portador de
conhecimentos técnicos e específicos para procedimentos nutricionais. CONCLUSÃO:
Conclui-se que a terapia de nutrição parenteral neonatal, quando aplicada corretamente,
respeitando os cuidados e parâmetros legais exigidos, desde o diagnóstico até a transição para
outra via alimentar, com monitoramento constante por equipe multidisciplinar das respostas
bioquímica e nutricionais, reduz os riscos e complicações inerentes à sua introdução, uma vez
que oferece aporte nutricional adequado para o desenvolvimento do recém-nascido,
garantindo sua sobrevida pós-natal.

Publicado
2018-05-11
Como Citar
BONINI, V. C. R., & DÉO, E. de M. (2018). NUTRIÇÃO PARENTERAL NEONATAL: GARANTIA DE SOBREVIDA PÓSNATAL PARA RECÉM-NASCIDOS DE ALTO RISCO. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, 8(8). Recuperado de https://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path[]=2940