TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES: TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL

  • Natalia dos SANTOS
  • Rosângela Fátima da COSTA
Palavras-chave: Transtornos alimentares, Adolescência, Terapia cognitivo comportamental

Resumo

Considera-se transtorno alimentar qualquer alteração relacionada à alimentação. Segundo o DSM-5 os transtornos alimentares com mais incidência na adolescência são anorexia nervosa (NA) e bulimia nervosa (BN) que raramente se inicia antes da puberdade ou após os 40 anos, transtornos esses que afetam em sua maioria mulheres. Este tema é de grande relevância para a comunidade científica e psicólogos que atuam na terapia cognitivo comportamental ou em outras abordagens psicológicas. Este estudo tem como objetivo conhecer os transtornos alimentares com maior incidência na adolescência com suas características/sintomas e apontar meios de intervenção através da terapia cognitivo comportamental. O método utilizado foi de pesquisa integrativa consultado na língua portuguesa  nas bases de dados online meio do LILACS (Sistema Latino Americano e do Caribe de informações em Ciências da Saúde) com os seguintes descritores: transtornos alimentares, adolescência e terapia cognitivo comportamental, através de artigos publicados a partir do ano de 2002, sendo eles em língua portuguesa e na íntegra. Por meio desta pesquisa foi possível observar que os casos de anorexia e bulimia geralmente estão associados a distorção da imagem corporal e uma preocupação excessiva com o corpo.  Os resultados obtidos permitiram concluir que os transtornos mais incidentes na adolescência são a anorexia (AN) e bulimia (BN), mas ainda é necessário um estudo mais aprofundado que identifique esses transtornos ainda nos primeiros sintomas.

Publicado
2018-09-20