ALTERAÇÕES PSICOSSOMÁTICAS NO ADULTO APÓS AUTOMEDICAÇÃO

  • Caroline Daniele ALVAREZ
  • Natalia Cristina ANTONIOLO
  • Thaisa Fernanda Queiroz de SOUZA
  • Flávia Cristina CUSTÓDIO

Resumo

Introdução: A terapia medicamentosa visa o tratamento de dores de curta duração, capacitando
o indivíduo a alcançar o alívio ou a cura da mesma. A analgesia medicamentosa não elimina a
causa da dor, mas seu uso adequado pode levar a uma melhora da qualidade de vida, facilitar o
tratamento. Objetivo: Descrever sobre as alterações psicossomáticas em adultos após
automedicação. Metodologia: Trata-se de um levantamento bibliográfico o qual foi realizado
por meio do Lilacs, Biblioteca Virtual em Saúde e Scielo, sendo pesquisados artigos científicos
baseados em observações sobre o tema proposto. Resultados: A partir dos resultados deste
estudo, nota-se as que as doenças psicossomáticas durante o processo de automedicação,
realizadas por jovens e adultos apresentam consequências em tratar ou aliviar sintomas, ou
mesmo de promover a saúde, independentemente da prescrição profissional. Portanto, é comum
indivíduos adultos praticarem automedicação diante de episódios de dores e surgimentos de
sintomas que possam levar ao início da dor, porém praticar consumo de medicamentos sem
orientação médica pode causar efeitos psicossomáticos e elevar o índice de sintomas ainda
maiores que os já existentes. Conclusão: Portanto, a maior parte dos estudos sobre uso de
medicamentos envolve pessoas idosas, sendo que a grande maioria destas apresentam como
principais problemas de saúde Diabetes e Hipertensão. Assim, os medicamentos possuem forte
valor simbólico para a população, transcendendo a sua atividade terapêutica, o que pode
contribuir para maior consumo e uso irracional destes.

Publicado
2017-10-05