A BAIXA ADERÊNCIA DO USO DO PRESERVATIVO NA ADOLESCÊNCIA

  • Évelyn Rafaele Martins de ALMEIDA
  • Letícia Alves SILVA
  • Priscila do Carmo VICIOLI
  • Rosana FRANCISQUETE
  • Jussara Britto Batista GONÇALVES

Resumo

Trata-se de uma pesquisa de revisão da literatura, os materiais para a busca bibliográfica foram
selecionados por meio da biblioteca virtual em saúde utilizando como critério de inclusão
apenas artigos já publicados em português nos últimos dez anos, e manuais técnicos do
ministério da saúde. O objetivo do estudo foi de buscar em pesquisas já realizadas os fatores
determinantes na baixa adesão do uso do preservativo entre os adolescentes. A adolescência é
uma fase da vida causada por transformações tanto social quanto econômica gerando novas
experiências associadas a inexperiência o que aumenta a vulnerabilidade. A pratica sexual se
inicia cedo principalmente para o sexo masculino em média aos 14 anos, está relacionado a
vários fatores como conflitos, mudanças físicas, emocionais, social e a divulgação da mídia que
aborda esse assunto com muita naturalidade. Os adolescentes concordam que o uso do
preservativo reduz o prazer sexual, gera desconfiança entre os parceiros e inibe o desempenho
sexual. Os jovens brasileiros possui um alto nível de conhecimento sobre a transmissão do HIV,
contudo as pesquisas revelam que entre eles há uma alta prevalência de risco para transmissão
de doenças DST, pois não usam o preservativos constantemente. Conclui-se que com o presente
estudo que são necessárias intervenções impactantes que possam realmente atingir os
adolescentes na conscientização dos riscos à saúde que podem ser causados na prática sexual
desprotegida.

Publicado
2017-10-05