PRESENÇA DE BACTÉRIA ESCHERICHIA COLI EM ÁGUA PROVENIENTE DE POÇOS ARTESIANOS NO MUNICÍPIO DE FERNANDÓPOLIS – SP

  • Midian Nikel Alves de SOUZA
  • Carlos Eduardo Maia de OLIVEIRA
  • Alessandra Cristina LEZO
  • Cíntia Souza PEREIRA
  • Lígia Cristina PIMENTA

Resumo

As águas provenientes de poços artesianos podem ser contaminadas por águas residuais e excretas de origem humana ou animal, podendo conter micro-organismos patogênicos. A detecção de bactérias do grupo dos coliformes fecais na água, principalmente a espécie Escherichia coli, constitui-se em parâmetro confiável no estabelecimento do seu padrão de potabilidade. Baseando-se nisto e com o objetivo de se detectar a contaminação da água de poços artesianos por E. coli,  na presente pesquisa foram coletadas 20 amostras de água em sete bairros da cidade de Fernandópolis – SP, provenientes de poços artesianos instalados em propriedades particulares. As amostras coletadas foram diluídas e inoculadas em tubos de ensaio contendo os caldos lauril – triptose e verde brilhante onde foram incubadas a 35ºC durante 24 a 48 horas. As amostras também foram semeadas em meio de cultura seletivo EMB (Eosina Metilene Blue) e as colônias suspeitas submetidas a testes bioquímicos específicos. Foram ainda realizados esfregaços, corados pelo método de Gram e analisados em microscópio óptico, em objetiva de imersão. Das 20 amostras coletadas, quatro (20% do total) revelaram-se positivas para E. coli, sendo que duas destas (10% do total) foram coletadas em pontos de acesso comunitário para uso doméstico e as outras duas (10% do total) em pontos residenciais para fins domésticos e irrigação de horta. Conclui-se, portanto, que nem sempre água proveniente de poços artesianos está isenta de contaminação microbiana, sendo necessária a conscientização da população a respeito deste fato. 

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria n.1469, de 29 de dezembro de 2000. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Anexo: Norma de Qualidade da água para consumo humano. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, de 10 de janeiro de 2001.

CETESB. Guia de coleta e preservação de amostras de água da CETESB. São Paulo, SP: 1988.

CESTESB. Coliformes totais e fecais: determinação pela técnica de tubos múltiplos. São Paulo, SP: 1993.

D’AGUILA, P. S. et al. Avaliação da qualidade de água para abastecimento público do Município de Nova Iguaçu. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, RJ, v. 16, n. 3, p.791-798, jul-set, 2000.

HAJDENWURCEL, J. R. Atlas de microbiologia de alimentos. São Paulo, SP: Fontes Comunicações e Editora, 1998.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Domicílios com abastecimento de água por poço ou nascente e outra forma – 2000. Atlas de saneamento. Rio de Janeiro, RJ, p.19, 2000.

JAWETZ, E.; MELNICK, J. L.; ADELBERG, E. A. Microbiologia médica. 21. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

MURRAY, P. R. Microbiologia médica. 3. ed. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, 2000.

SILVA JUNIOR, P. R.; MELO, A. M. M. F.; CARVALHO, E. Qualidade microbiológica da água de poços residenciais do bairro centro educacional da cidade de Fátima do Sul-MS. Interbio, v. 2, n. 2, p. 29-34, 2008.

SILVA, N. et al. Técnica de isolamento e identificação de Escherichia coli em resíduos sólidos. Universitas. v. 2, n.1, p. 305-09, 2006.

SIQUEIRA, R. S. Manual de microbiologia de alimentos. Brasília: EMBRAPA, SPI; Rio de Janeiro, RJ: EMBRAPA, CTAA, 1995.

SOTO, F. R. M. et al. Monitoramento da qualidade da água de poços rasos de escolas públicas da zona rural do Município de Ibiúna/SP: parâmetros microbiológicos, físico-químicos e fatores de risco ambiental. Revista do Instituto Adolfo Lutz, p.106-11, 2006.

TORTORA, G. J.; FUNKE, B. R.; CASE, C. L. Microbiologia. 6. ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

VANDERZANT, C.; SPLITTSTOESSER, D. F. Compenduim of methods for the microbiological examination of foods. 3. ed. Washington: Americam Public Health Association, 1992.
Publicado
2015-10-07
Como Citar
SOUZA, Midian Nikel Alves de et al. PRESENÇA DE BACTÉRIA ESCHERICHIA COLI EM ÁGUA PROVENIENTE DE POÇOS ARTESIANOS NO MUNICÍPIO DE FERNANDÓPOLIS – SP. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - NUTRIÇÃO, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 46-56, out. 2015. ISSN 2357-7665. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfcn&page=article&op=view&path%5B%5D=1634>. Acesso em: 23 set. 2017.

Palavras-chave

Escherichia coli. Água de poços artesianos. Coliformes fecais.