FATORES QUE CONDICIONAM O ESTADO DE DESNUTRIÇÃO DO IDOSO

  • Fernanda Pires DUTRA
  • Natalia Benites dos SANTOS
  • Tamara Eugenia Braga DEIZEPPI
  • Rosana Mara Rulli ABBUD
Palavras-chave: Idoso. Desnutrição. Nutrição. Saúde. Nutricionista.

Resumo

A transição demográfica da população brasileira aumentou significativamente o número de idosos, sendo necessário o conhecimento dos fatores que agravam o processo de envelhecimento, acarretando uma má nutrição do organismo, tornando-o vulnerável a outras patologias. A desnutrição é influenciada por diversos condicionantes que vão desde alterações fisiológicas, naturais ou associadas a doenças e ao uso de medicamentos, bem como a condição socioeconômica prejudicando a aquisição e a ingestão dos alimentos, porém, muitas vezes seu diagnóstico é atribuído a outros problemas contribuindo para a deterioração do corpo. Para identificar a desnutrição se faz necessário o uso da avaliação nutricional, podendo ser realizada por meio de três métodos, sendo eles: avaliação antropométrica, mini avaliação nutricional e avaliação subjetiva global. Através desses agravantes, destaca-se a importância do profissional nutricionista na prevenção e manutenção do estado nutricional adequado do idoso através de um planejamento dietético que inclua uma alimentação com maior aporte energético. Este estudo tem por objetivo avaliar os fatores que condicionam a desnutrição na população idosa colaborando com os profissionais na melhoria da saúde desta população. 

Referências

ALVARENGA, L. N. et al. Repercussões da aposentadoria na qualidade de vida do idoso. Revista Escolar Enfermagem USP, São Paulo, v. 43, p. 796-802, 2009. Disponível em: Acesso em: 22 de mai. 2014.

BARBOSA, E. R.; GONÇALVES, L. R. Distúrbios do Movimento. In: CARVALHO FILHO, E. T.; PAPALÉO NETTO, M. Geriatria fundamentos, clínica e terapêutica. 2. ed. São Paulo, SP: Atheneu, 2006. Cap. 10, p. 121-40.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: Uma Análise das Condições de Vida da População Brasileira. 2010. Disponível em: os/sinteseindicsociais2010/SIS_2010.pdf.> Acesso em: 24 de fev. de 2014.

DOUGLAS, C. R. Envelhecimento: características e fisiologia geral. In. DOUGLAS, C. R. Fisiologia aplicada à nutrição. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. Cap. 61, p. 980-1004.

FORMIGONI, G. G. S.; BALBANI, A.; FORMIGONI, L. G. Aspectos otorrinolaringológicos do envelhecimento. In: CARVALHO FILHO, E. T.; PAPALÉO NETTO, M. Geriatria fundamentos, clínica e terapêutica. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2006. Cap. 55, p. 599-606.

FRANCESCHINI, S. C. C. et al. Necessidades e recomendações de nutrientes. In CUPPARI, L. Guias de medicina ambulatorial e hospitalar da EPM-UNIFESP. Nutrição clinica no adulto. 3. ed. Barueri: Nestor Schor, 2014. Cap. 1, p. 3-43.

GARCIA, Y. M.; CURIATI, J. A. E. Envelhecimento do Aparelho Digestivo. In: CARVALHO FILHO, E. T.; PAPALÉO NETTO, M. Geriatria fundamentos, clínica e terapêutica. 2. ed. São Paulo, SP: Atheneu, 2006. Cap. 24, p. 311-16.

KAMIMURA, M. A., et al. Avaliação nutricional. In: CUPPARI, L. Guia de nutrição: clínica no adulto. 3. ed. Barueri: Nestor Schor, 2014. Cap. 6, p. 111-50.

LIMA, L. C. et al. Necessidades e Recomendações de Energia e Nutrientes. In LIMA, L. C.; GONZALEZ, M. C. Nutrição clínica no dia a dia. Rio de Janeiro, RJ: Rubio, 2013. Cap. 6, p. 73-82.

MACHADO, J. et al. Estado nutricional na doença de Alzheimer. Revista da associação de medicina brasileira, p. 188-91, 2009. Disponível em: Acesso em: 20 de mai. de 2014.

MARUCCI, M. F. N.; ALVES, R. P.; GOMES, M. M. B. C. Nutrição em gerontologia. In. SILVA, S. M. C. S.; MURA, J. D. P. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. 2. ed. São Paulo: Roca, 2013. Cap. 25, p. 461-88.

PAPALIA, D. E.; FELDMAN, R. D. Lidando com morte e o sentimento de perda. In. PAPALIA, D. E.; FELDMAN R. D. Desenvolvimento humano. 12. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. Cap. 19, p. 634-57.

PAPALÉO NETTO, M.; CARVALHO FILHO, E. T.; GARCIA, Y. M. Biologia e teorias do envelhecimento. In. CARVALHO FILHO, E. T.; PAPALÉO NETTO M. Geriatria fundamentos, clínica e terapêutica. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2006. Cap. 1, p. 3-18.

PFRIMER, K.; FERRIOLLI, E. Recomendações Nutricionais para Idosos. In. VITOLO, M. R. Nutrição da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Rubio, 2008. Cap. 45, p. 435-49.

______. Recomendações Nutricionais para Idosos. In. VITOLO, M. R. Nutrição da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Rubio, 2008. Cap. 46, p. 452-57.

______. Fatores que Interferem no Estado Nutricional do Idoso. In. VITOLO, M. R. Nutrição da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Rubio, 2008. Cap. 47, p. 459-62.

REZENDE, E. M. et al. Mortalidade de idosos com desnutrição em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: uma análise multidimensional sob o enfoque de causas múltiplas de morte. Cadernos. Saúde Pública, Rio de Janeiro, p. 1109-21, jun., 2010. Disponível em: Acesso em: 22 de mai. de 2014.

SOUZA, V. M. C.; GUARIENTO, M. E. Avaliação do idoso desnutrido. Revista Brasileira de Clínica Médica, Campinas, v. 7, p. 46-9, 2009. Disponível em: <.http://www.observatorionacionaldoidoso.fiocruz.br/biblioteca/_artigos/83.pdf>. Acesso em: 22 de mai. 2014.

VADE MECUM, Estatuto do idoso: 16. ed. São Paulo, SP: Saraiva, 2013, p. 1105-13.

WELLMAN, N. S.; KAMP, B. J. Nutrição e envelhecimento. In: MAHAN, L. K.;STUMP, S. E.; RAYMOND, J. L. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. 13. ed. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier, 2013, Cap. 21, p. 442-60.
Publicado
2015-10-07