HUMANIZAÇÃO NOS SERVIÇOS DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: SIGNIFICADOS PARA PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Edirlei Machado DOS-SANTOS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS-CPTL)
  • Palloma Glasiane de Sousa FREITAS Universidade Federal da Bahia - UFBA, Instituto Multidisciplinar em Saúde - IMS

Resumo

Estudos sobre humanização nos serviços de saúde da Atenção Primária à Saúde são incipientes. O objetivo deste estudo foi compreender a percepção dos trabalhadores de uma Unidade de Saúde da Família acerca da humanização na Atenção Primária à Saúde. Trata-se de um estudo descritivo e exploratório de abordagem qualitativa. Os dados foram analisados por meio da Análise Temática de Conteúdo, sendo identificadas as categorias temáticas: Humanização em saúde: significados e inquietudes, Estratégias utilizadas para humanização da assistência e Desafios para consolidação de uma assistência humanizada. O estudo aponta que não existe consenso entre os trabalhadores da equipe sobre as estratégias desenvolvidas em seu processo de trabalho que possa conduzir à humanização do cuidado prestado.  Isto denota a complexidade e heterogeneidade da temática. O resultado deste estudo pode contribuir para reflexão e análise de como a humanização tem sido percebida e implementada nos serviços de Atenção Primária à Saúde.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Enfermeiro. Doutor em Enfermagem. Professor Adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Pesquisador do Núcleo de Epidemiologia e Saúde Coletiva (NESC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e do Núcleo de Pesquisa e Estudos Qualitativos em Saúde (NUPEQS) da Faculdade de Enfermagem (FEnf) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
##submission.authorWithAffiliation##
Enfermeira. Graduada em Enfermagem pelo Instituto Multidisciplinar em Saúde (IMS) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). palloma_glasiane@hotmail.com

Referências

BARDIN, L. Definição e relação com as outras ciências. In:______. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004. p.23-41.

BECK, C. L. C. et al. A humanização na perspectiva dos trabalhadores de enfermagem. Texto Contexto Enferm., v. 16, n.3, p. 503-510, 2007.

BENEVIDES, R.; PASSOS, E. Réplica. Interface, Botucatu, v. 9, n. 17, p. 404-406, 2005.
BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização. HumanizaSus: Documento Base para Gestores e Trabalhadores do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Acolhimento com avaliação e classificação de risco. Brasília: Ministério da Saúde, 2004c.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: ambiência. Brasília: Ministério da Saúde, 2004d.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). Manual Instrutivo. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. O HumanizaSUS na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

CASATE, J. C.; CORRÊA, A. K. Humanização do atendimento em saúde: conhecimento veiculado na literatura brasileira de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 13, n.1, p. 105-111, 2005.

FORTES, P. A. C. Ética, direitos dos usuários e políticas de humanização da atenção à saúde. Saúde e Sociedade, v. 13, n.3, p. 30-35, 2004.

GIL, A. C. Como classificar as pesquisas? In:_____. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas; 2007, p.41-57.

LEOPARDI, M. T.; GONZALES, R. M. B.; BECK, C. L. C. Técnicas e procedimentos de pesquisa qualitativa. In: LEOPARDI, M. T. (Org.) Metodologia da pesquisa na saúde. Florianópolis: UFSC/Pós-Graduação em Enfermagem, 2002. p.223-36.

MARTINS, J. J.; ALBUQUERQUE, G. L. A utilização de tecnologias relacionais como estratégia para humanização do processo de trabalho em saúde. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 6, n.3, p. 351-356, 2007.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

PUCCINI, P. T.; CECÍLIO, L. C. O. A humanização dos serviços e o direito à saúde. Caderno de Saúde Pública, v. 20, n.5, p. 1342-1353, 2004.

SANTOS, E. M.; MORAIS, S. H. G. A visita domiciliar na estratégia saúde da família: percepção de enfermeiros. Cogitare enfermagen, v. 16, n.3, p. 492-497, 2011.

SIMÕES, A. L. A. et al. Humanização na saúde: enfoque na atenção primária. Texto Contexto Enfermagem, v. 16, n. 3, p. 439-444, 2007.

TURATO, E. R. Tratado de metodologia da pesquisa clínico-qualitativa. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

VAITSMAN, J.; ANDRADE, G. R. B. Satisfação e responsividade: formas de medir a qualidade e a humanização da assistência à saúde. Ciência e Saúde coletiva, v. 10, n. 3, p. 599-613, 2005.
Publicado
2017-03-24
Como Citar
DOS-SANTOS, Edirlei Machado; FREITAS, Palloma Glasiane de Sousa. HUMANIZAÇÃO NOS SERVIÇOS DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: SIGNIFICADOS PARA PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - ENFERMAGEM - ISSN 2526-5628, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 51-64, mar. 2017. ISSN 2526-5628. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=rfce&page=article&op=view&path%5B%5D=http%3A%2F%2Fseer.funecsantafe.edu.br%2Findex.php%3Fjournal%3Drfce%26page%3Darticle%26op%3Dview%26path%255B%255D%3D2303>. Acesso em: 25 set. 2017. doi: https://doi.org/10.24980/rfcenf.v1i1.2303.

Palavras-chave

Humanização da assistência. Programa saúde da família. Pesquisa qualitativa. Enfermagem.