INDICADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SAÚDE DE UM HOSPITAL-ESCOLA DE GRANDE PORTE

  • Rafael Guerra AQUINO Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul
  • Clinton Fábio Gomes SILVA Residente do Programa de Vigilância em Saúde, da Faculdade de Medicina de Rio Preto – FAMERP
  • Andréa Cristine SANCHES Universidade Camilo Castelo Branco - UNICASTELO
Palavras-chave: Resíduos de Serviços de Saúde. Gerenciamento de Resíduos. Gestão em enfermagem.

Resumo

Este estudo descritivo e exploratório de informações provenientes de consulta a banco de dados teve como objetivo identificar indicadores de gestão para monitoramento e avaliação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (PGRSS) de um hospital-escola. O acompanhamento de todo o processo de coleta, segregação e armazenamento dos resíduos produzidos no estabelecimento mostrou-se eficiente na identificação de falhas. Houve uma redução no número de atendimentos no período de realização do estudo e paralelamente aumento na taxa de geração de resíduos, indicador que se mostrou eficiente e refletiu as mudanças ocorridas no processo de transição para a condição de hospital-escola. A reciclagem dos resíduos trouxe alguma renda para o estabelecimento, mas reflete a necessidade de capacitação dos envolvidos por conta da baixa eficiência. O número de acidentes com perfurocortantes pode ser utilizado como um indicador do risco ocupacional e da eficiência da aplicação das normas de biossegurança.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306/04 – Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 358/05 – Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde de dá outras providências. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2005.

BRASIL. Casa Civil. Decreto 5.940 de 25 de outubro de 2006. Institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis, e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria Nº 344/98 - Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 1998.

CUSSIO, N. A. M.; LANGE, L.C.; FERREIRA, J. A. Taxa de Geração de Resíduos de Serviços de Saúde em um Hospital Pediátrico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. 21., 2000. Belo Horizonte, MG, Anais.... Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Belo Horizonte, MG, 2000. 8 p.

DIAZ, L. F. et al. Characteristics of healthcare wastes. Waste Management, v. 28, n.7, p. 1219-1226, 2008.

FONSECA, E.; NÓBREGA, C.C.; OLIVEIRA, A.G. Produção e taxa de geração de resíduos sólidos de serviços de saúde de hospitais de João Pessoa – Paraíba. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. 23., 2005. Campo Grande, MS. Anais... Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. p.1-8, 2005.

GUIMARÃES, R. Nova tecnologia permite reciclagem de seringas. Agência Sebrae de Notícias. Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em: 08 de maio 2011.

LEE, B. K.; ELLENBECKER, M. J.; ERSASO, R. M. Alternatives for treatment and disposal cost reduction of regulated medical wastes. Waste Management, v. 24 n.2, p. 143-151, 2004.

MAGALHÃES, S.T. R.; MELO, C. R.; GIACOMIN, R. Implementação da reciclagem em uma instituição hospitalar privada. Centro Universitário de Patos de Minas. Perquirere, v. 9 n. 2, p. 70-83, dez. 2012.

MAZZER, C.; CAVALCANTI, O. A. Introdução à Gestão Ambiental de Resíduos. Infarma. Paraná, v. 16, n. 1 e 12, p. 66 – 77. 2004.

MELO, M. S. Estudo sobre resíduos de serviço de saúde no hospital universitário de Brasília/DF [dissertação]. Universidade de Brasília/UN, Brasília, 2007. 106 p.
NAIME, R.; RAMALHO, A. H. P.; NAIMA, I. S. Avaliação do sistema de gestão dos resíduos sólidos do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Revista Espaço para a Saúde. Londrina, v. 9, n. 1, dez/2008.

NISHIDE, V. M.; BENATTI, M. C. C.; ALEXANDRE, N. M. C. Ocorrência de acidente do trabalho em uma unidade de terapia intensiva. Revista Latino-americana de Enfermagem, v.12, p. 204-211, 2004.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAUDE. Organização Pan-Americana Da Saúde. Guia para o manejo interno de resíduos sólidos em estabelecimento de saúde. OMS, 1997.

PEREIRA, S. L.; GOMES, M. V. C. N. Avaliação da gestão dos resíduos de serviços de saúde em hospitais no município de Belém PA. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. 24., 2007, Belo Horizonte, MG, Anais... Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Belo Horizonte, MG, p.1-11. 2007.

SOARES, S. R.; CASTILHOS JÚNIOR, A. B.; MACEDO, M. C. Diagnóstico da produção de resíduos de serviços da saúde estudo de caso: Hospital Universitário Florianópolis – SC. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. 19., 1997, Foz do Iguaçu, PR, Anais... Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Belo Horizonte, MG, p. 1783-178, 1997.

TUDOR, T. L. Towards the development of a standardized measurement unit for healthcare waste generation, Resources Conservation and Recycling, v. 50 n. 3, p. 319-333, 2007.

VIEIRA, D. K.; DETONI, D. J.; BRAUM, L. M. S. Indicadores de Qualidade em uma Unidade Hospitalar. In: SEGET – SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA. 3., 2006, Resende, RJ, Anais... Resende, RJ, 2006.
Publicado
2017-03-24