SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL (SAP) E BEHAVIORISMO: ANÁLISES CONCEITUAIS DAS DESCRIÇÕES DOS SINTOMAS

  • Guido Augusto SOLDERA
  • Carlos de Paula PORTELA
Palavras-chave: Síndrome da Alienação Parental. Behaviorismo Radical. Comportamento operante. Conflito familiar.

Resumo

A Síndrome da Alienação Parental é geralmente definida como um distúrbio ou uma desordem que surge principalmente no contexto de disputas judiciais pela guarda dos filhos, sendo sua primeira manifestação a campanha injustificada de desmoralização contra o pai ou a mãe. Embora exista vasta literatura nacional no campo das Ciências Jurídicas, em relação ao campo da psicologia, o mesmo não se repete. Mais especificamente em relação a uma análise do fenômeno com viés do behaviorismo radical, a literatura é até o momento inexistente. O objetivo do presente artigo é fazer uma revisão bibliográfica narrativa acerca da Síndrome da Alienação Parental, por meio de documentos de dois dos autores mais significativos sobre o tema, a saber, Darnall e Gardner, estabelecendo a análise conceitual dos seus argumentos por meio da proposta teórica e filosófica de interpretação do Behaviorismo Radical sob três principais temas: o mentalismo, as emoções e sensações e o comportamento operante. Como principal resultado obtivera-se que ambos os autores citados, dentro dos documentos analisados, dispõem de dados insuficientes para que uma análise funcional detalhada e sólida dos comportamentos relacionados à Síndrome da Alienação Parental seja realizada, embora existam informações relevantes acerca das grandes classes de mecanismos comportamentais atuantes na síndrome e em suas descrições. Conclui-se que a análise funcional, por meio de relatos de dinâmicas parentais em que a alienação parental ocorre, assim como um estudo pormenorizado dos comportamentos verbais da síndrome podem ser ferramentas bastante relevantes na compreensão do funcionamento mais detalhado da alienação parental.

Referências

A morte inventada: alienação parental [Filme-vídeo]. Produção de Alan Minas (Diretor). Niterói: Caraminholas Produções, 2009. 1 DVD.

BAUM, W. M. Compreender o Behaviorismo: comportamento, cultura e evolução. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BRASIL. Lei nº 12.318 de 26 de agosto de 2010. Dispõe sobre a alienação parental e altera o art. 236 da Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Brasília, DF, 26 de ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 09 de dezembro de 2016.

COSTA, A. L. F. A morte inventada: depoimentos e análise sobre a alienação parental e sua síndrome. Estudos de Psicologia (Campinas), Campinas, v. 28, n. 2, p. 279-281, 2011.

DARNALL, D. New definition of parental alienation: what is the difference between parental alienation (PA) and parental alienation syndrome (PAS)? 1997a. Disponível em: .
Acesso em: 09 dez. 2016.

DARNALL, D. Three Typesof Parental Alienators, 1997b. Disponível em:
. Acesso em: 09 dez. 2016.

GARDNER, R. A. Does DSM IV have equivalent for the parental alienation syndrome (PAS) diagnosis? 2002a. Disponível em: . Acesso em 09 dez. 2016.

. The empowerment of children in the development of parental alienation syndrome. The American Journal of Forensic Psychology, v.20, n.2, p.5-29, 2002b. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2016.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

LAGO, V. de M.; BANDEIRA, D. R. A Psicologia e as demandas atuais do Direito de família. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 2, p. 290-305, 2009.
MATOS, M. A. Análise funcional do comportamento. Estudos de Psicologia (Campinas), Campinas, v. 16, n. 3, p. 8-18, 1999.

MOTA, C. P.; MATOS, P. M. Conflitos interparentais e individuação em jovens adultos portugueses: papel dos conflitos de lealdade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 29, n. 3, p. 267-276, 2013.

OLIVEIRA, C. F. B. de; BRITO, L. M. T. de. Judicialização da vida na contemporaneidade. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 33, p. 78-89, 2013.

RAVASIO, M. T. H. Síndrome da alienação parental: um novo tema nos juízos de família. Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, v.12, n. 1, p. 331-333, 2012.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 5-6, 2007.

SCHAEFER, L. S.; ROSSETTO, S.; KRISTENSEN, C. H. Perícia psicológica no abuso sexual de crianças e adolescentes. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 28, n. 2, p. 227-34, 2012.

SKINNER, B. F. Sobre o Behaviorismo. São Paulo: Cultrix, 1974. 216 p.

______. Questões recentes na análise do comportamental. Campinas: Papirus, 1989.

SOUSA, A. M. de. Síndrome da alienação parental: um novo tema nos juízos de família. São Paulo: Cortez, 2010.

SOUSA, A. M. de; BRITO, L. M. T. de. Síndrome de alienação parental: da teoria Norte-Americana à nova lei brasileira. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 31, n. 2, p. 268-283, 2011.

SOUZA, A. M. O. de; BARRETO, R. M. Síndrome de alienação parental, falso abuso sexual e guarda compartilhada: a necessidade de uma observação jurídica transdisciplinar. Espaço Jurídico: Journalof Law, v. 12, n. 1, p. 67 -82, 2011.

TEIXEIRA JÚNIOR, R. R.; SOUZA, M. A. O. de. Vocabulário de análise do comportamento: um manual de consulta para termos usados na área. Santo André: ESETec, 2006.
Publicado
2017-03-16