PRÉ-NATAL MASCULINO: SIGNIFICADOS PARA HOMENS QUE IRÃO (RE)EXPERIENCIAR A PATERNIDADE

  • Edirlei Machado DOS-SANTOS
  • Vanêska Brito FERREIRA
Palavras-chave: Pré-Natal. Saúde do homem. Educação em saúde. Saúde da família.

Resumo

O pré-natal tem sido visto como uma possibilidade de trazer os homens para perto do serviço de saúde. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa cujo objetivo foi compreender o significado de homens acerca de sua participação em um grupo de educação em saúde voltado ao pré-natal masculino. Participaram do presente estudo sete homens que (re)experienciariam a paternidade. Eles foram entrevistados e os dados analisados por meio da técnica de Análise de Conteúdo, modalidade Temática. Foram depreendidas quatro categorias temáticas: Significando a participação do grupo educativo; A percepção sobre a gravidez e as modificações do corpo materno; Pré-Natal Masculino: percepção de homens que irão experienciar a paternidade e; Os cuidados com o recém-nascido: a construção da percepção paterna. Os resultados apontaram que o pré-natal masculino é percebido como relevante no que se refere aos aspectos relacionados ao trinômio pai-mãe-filho, com ênfase na promoção da saúde e prevenção de doenças.

Referências

ALBANO, B. R.; BASÍLIO, M. C.; NEVES, J. B. Desafios para a inclusão dos homens nos serviços de atenção primária à saúde. Revista Enfermagem Integrada, v.3, n. 2, 2010, p. 554-63.

BARDIN, L. Análise de conteúdo.3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BRANCO, V. M. C. et al. Unidade de saúde parceira do pai. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diagnóstico completo da saúde do homem. Saúde do Homem. 2011. Disponível em: . Acesso em 23 ago. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política de Saúde do homem incentiva pré-natal masculino. Saúde do Homem. 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Promovendo o aleitamento materno. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde, 2007. 18 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde do homem: Princípios e Diretrizes. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde; 2008.46 p.

FIGUEIREDO, W. Assistência à saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciência & Saúde Coletiva, v. 10, n. 1, 2005, p. 105-09.

FONTANELLA, B. J. B.; RICAS, J.; TURATO, E. R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cadernos de Saúde Pública. v. 24, n. 1, 2008, p. 17-27.

FREITAS, W. M. F.; COELHO, E. A. C.; SILVA, A. T. M. C. Sentir-se pai: a vivência masculina sob olhar de gênero. Cadernos de Saúde Pública. v. 23, n. 1, 2007, p. 137-45.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, R.; NASCIMENTO, E. F.; ARAÚJO, F. C. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cadernos de Saúde Pública, v. 23, n. 3, 2007, p. 565-74.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Características Étnico-raciais da População: um estudo das categorias de classificação de cor ou raça 2008. [Internet]. Brasília: Ministério do Planejamento, orçamento e Gestão; 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2014.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

PAULA, A. O.; SARTORI, A.; MARTINS, C. A. Aleitamento materno: orientações, conhecimento e participação do pai nesse processo. Revista Eletrônica de Enfermagem, v.12, n. 3, 2010, p. 464-70. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2013.

PEREIRA, V. A.; NEVES, G. M. C. A participação do homem/pai na vida da mulher e do filho no período do puerpério. Fazendo Gênero 9 - Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2013.

QUINTAL, V. S.; CARBONARE, S. B.; SAMPAIO, M. M. S. C. Imunobiologia do leite humano. In: ISSLER, H. (Org.). O aleitamento materno no contexto atual: políticas, prática e bases científicas. São Paulo: Sarvier, 2008. p. 191-203.

REBERTE, L. M.; HOGA, L. A. K. A experiência de pais participantes de um grupo de educação para saúde no pré-natal. Ciencia y Enfermeria. v. 16, n. 1, 2010, p. 105-14.

REBERTE, L. M.; HOGA, L. A. K. A. Cartilha educativa. Celebrando a vida: nosso compromisso com a promoção da saúde da gestante. São Paulo: Oboré, 2009.

SCHRAIBER, L. B. et al. Violência dói e não é direito: a violência contra a mulher, a saúde e os direitos humanos. São Paulo: Editora Unesp, 2005.

ZAGONELI, I. P. S. et al. O cuidado humano diante da transição ao papel materno: vivências no puerpério. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 5, n. 2, 2003, p. 24-32. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2014.
Publicado
2017-03-16
Seção
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE