PSICODIAGNÓSTICO: INSTRUMENTO RELEVANTE PARA O PROCESSO TERAPÊUTICO

  • Mariana Almeida Santos de Freitas DUTRA
  • Pâmela de Oliveira PEREIRA
  • Raquel Fávaro RUBINHO
  • Samara Salvador dos SANTOS
  • Elaine Doro Mardegan COSTA
Palavras-chave: Psicodiagnóstico, Processo terapêutico

Resumo

INTRODUÇÃO: Ao iniciar o processo psicoterapêutico, o psicólogo se depara com vários fenômenos. Desta forma utilizar-se do psicodiagnóstico é de extrema relevância, pois através de tal ferramenta é possível obter um maior número de informações referentes à própria investigação. OBJETIVO: Apresentar o psicodiagnóstico como ferramenta primordial do processo terapêutico. METODOLOGIA: Foi realizado a Análise Descritiva com a Pesquisa Bibliográfica, RESULTADO: Os resultados indicam que o psicodiagnóstico é uma ferramenta que auxilia o psicólogo nas investigações de dados sobre determinado paciente, devido sua grande complexidade, deve ser feito apenas por psicólogos e deve ter sua origem a partir de um levantamento de hipóteses a serem confirmadas. Esse processo determina um plano de avaliação, em tempo previamente estabelecido entre o paciente e o psicólogo. Assim, definindo os instrumentos necessários por meio das hipóteses formuladas inicialmente, a avaliação é realizada por meio de testes e entrevistas afim de observar a relação dos dados obtidos com a atual situação do paciente para se obter o diagnóstico. Todavia, é indispensável considerar que esses processos não envolvem apenas a investigação, mas também, oferece espaço de aconselhamento, escuta compreensiva das dificuldades e problemas do paciente, além de outras intervenções terapêuticas. CONCLUSÃO: Logo, observou-se que o psicodiagnóstico é uma ferramenta de suma importância para a coleta de dados do paciente, o qual tem como finalidade auxiliar o profissional na sua investigação e intervenção clínica.
Publicado
2017-08-02