MALFORMAÇÃO CONGÊNITA: ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS PORTADORAS DE FISSURAS LABIOPALATAIS NOS PRIMEIROS MESES DE VIDA

  • Reginaldo Pinheiro da SILVA
  • Fabiela Frezarin FEITOSA
  • Samara Fornieles de SOUZA
  • Elisandra de Mello DÉO
Palavras-chave: Estado nutricional, Aleitamento materno, Fissuras labiopalatais

Resumo

INTRODUÇÃO: As fissuras labiopalatais são, dentre as malformações congênitas, a segunda mais comum mundialmente. No Brasil, estima-se que afete um a cada 650 nascidos vivos. Pode afetar apenas lábios, lábios e palato ou palato isoladamente. Sua etiologia baseia-se na teoria da multifatoriedade que engloba: fatores genéticos, como a hereditariedade, e ambientais, como deficiências nutricionais no período gestacional. OBJETIVO: Verificar o estado nutricional e demonstrar a importância do aleitamento materno na prevenção de complicações nutricionais futuras, bem como elucidar a importância da orientação nutricional nos primeiros meses de vida dos fissurados. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica em livros e artigos científicos. RESULTADO: Os portadores dessa patogenia apresentam alterações psicológicas, sociais e funcionais. Nesse último grupo, as complicações alimentares, em especial nos recém-nascidos estão evidentes, como dificuldade de deglutição, sucção e regurgitação. Em decorrência dessas dificuldades, muitas vezes o aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida é negligenciado, acarretando um alto risco de desnutrição. A alimentação ineficaz, está diretamente relacionada a inadequada nutrição materna, falta de aleitamento materno exclusivo e utilização de fórmulas artificiais inadequadas, podendo gerar danos irrecuperáveis prorrogando o tratamento da fissura. CONCLUSÃO: Diante disso, a orientação nutricional mostra-se de suma importância no tratamento de doença. Visto que auxilia o desenvolvimento do paciente e lhe proporciona consequentemente, uma melhor qualidade de vida.
Publicado
2017-08-02