EFEITOS DO TABAGISMO E ÁLCOOL DURANTE O PERÍODO GESTACIONAL

  • Daniela Carla Gonçalves de SOUZA
  • Gabriéla Silva do CARMO
  • Mariana da Silva MARCELINO
  • Bruna Benedicto MURCIA
  • Elisandra de Mello DÉO
Palavras-chave: Tabagismo, Álcool, Gestação

Resumo

INTRODUÇÃO: O período gestacional é um momento muito delicado para mulher, portanto, devem-se ter alguns cuidados em relação ao feto e a gestante, um dos cuidados é a restrição do cigarro e do álcool durante a gravidez, sendo eles um dos fatores que mais levaram a morte nos últimos anos. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi analisar as consequências do uso do cigarro e do álcool durante a gestação, procurando identificar onde eles atuam no organismo da mulher e no desenvolvimento embrionário. METODOLOGIA: Para a realização deste trabalho foram realizadas pesquisas bibliográficas, em revistas e artigos científicos, que descrevem que o uso de ambos interfere no desenvolvimento fetal e no comportamento futuro da criança. RESULTADO: A atuação nociva do cigarro ocorre quando o monóxido de carbono e a nicotina atravessam a placenta e reduzem cerca de 10% do transporte de oxigênio para o feto, aumento o risco de prematuridade e mortalidade perinatal e também promovendo a constrição dos vasos, o que reduz o fluxo sanguíneo. Já o álcool traz consequências deletérias que afetam os olhos, nariz, coração e sistema nervoso central, ocasionando um retardo mental no bebê. CONCLUSÃO: Conclui-se que o tabagismo quanto o álcool trazem graves consequências durante o período gestacional, pois esses possuem substâncias tóxicas prejudiciais ao feto. Sendo assim, a gestante deve evitar consumi-los e procurar uma equipe multidisciplinar para que a oriente e a acompanhe durante este período. É importante lembrar que a restrição de ambos trará uma gestação tranquila e livre de doenças causadas pelos seus efeitos.
Publicado
2017-08-01