CORRELAÇÃO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO EM PACIENTES COM FIBROSE CÍSTICA

  • Natalia Ferres BACCHIN
  • Thaynara Queiroz AMARAL
  • Renata Cristina de Angelo Calsaverini LEAL
Palavras-chave: Fibrose cística, Sobrevida, Epidemiologia

Resumo

INTRODUÇÃO: A Fibrose Cística (FC), também conhecida como mucoviscidose, é uma doença genética resultante do defeito na produção de uma proteína conhecida como canal de cloro. As manifestações clínicas são variadas, sendo os órgãos mais afetados os pulmões e os órgãos do trato gastrintestinal com posteriores complicações clínicas que podem causar um impacto no desenvolvimento e consequentemente na sobrevida do paciente. Monitoramento e vigilância possibilita melhora na qualidade de vida para os portadores de FC otimiza a sobrevida por meio de tratamento e prevenção de complicações. Nem todos os indivíduos expressam respostas clínicas na mesma intensidade e algumas variações podem ser decorrentes da presença de diferentes combinações de mutações do gene da FC. OBJETIVO: Identificar os dados epidemiológicos, incluindo idade atual, idade dos primeiros sintomas, idade ao diagnóstico genético, intervalo de tempo entre os primeiros sintomas e diagnóstico, idade ao óbito e sobrevida média dos afetados e relacionar aos dados clínicos dos pacientes com FC de acordo com a literatura atual. METODOLOGIA: Foi realizado estudo comparativo de acordo com os relatos da literatura atual. RESULTADO: Nem todos os indivíduos expressam respostas clínicas na mesma intensidade e algumas variações podem ser decorrentes de diferentes combinações de mutações do gene da FC. CONCLUSÃO: Conclui-se que a Fibrose Cística é conhecida por uma doença genética por um defeito na produção de proteínas do canal de cloro. As conclusões clínicas podem afetar, mas se tiver os devidos cuidados pode melhorar o quadro.
Publicado
2017-08-01