BRONQUIOLITE: A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NAS SEQUELAS DE BRONQUIOLITE NO LACTENTE

  • Ana Claudia GONÇALVES
  • Karine Pinatti PODENCIANO
  • Gabrielle Cavenaghi da SILVA
  • Brenda Caroline TEIXEIRA
  • Renata Cristina de Angelo Calsaverini LEAL

Resumo

INTRODUÇÃO: Sendo a afecção respiratória pediátrica comumente confundida com asma brônquica, a bronquiolite é uma infecção do trato respiratório inferior responsável por uma obstrução brônquica. Tem como característica: destruição do epitélio ciliado, consequente descamação, ocasionando o desnudamento da camada basal. Acomete os lactentes nos seus primeiros meses de vida, principalmente os nascidos nos meses de outono e inverno; tendo como seu principal agente causador o vírus sincicial respiratório (VRS). A infecção leva à uma inflamação dos bronquíolos, acompanhada por edema alveolar, intersticial, subpleural e formação da membrana hialina; podendo levar a uma atelectasia seu a obstrução brônquica não for removida. O lactente apresentará uma sibilância aguda, febre e/ou rinorreia inconstantes, tosse seca, dispneia progressiva, hiperatividade brônquica prolongada, tiragem intercostal e supra-esternal, batimento de asa no nariz, SaO2 inferior a 90% e hiperinsuflação pulmonar observada por radiografia de tórax. OBJETIVO: O objetivo do tratamento fisioterápico é voltado à reabilitação pulmonar, desenvolvendo a permeabilidade bronco alveolar e ventilação global por técnicas desobstrutivas e reexpansivas, realização de oxigenoterapia e suporte ventilatório nos casos mais graves da doença. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica que visa esclarecer sobre os aspectos gerais da doença, destacando a importância do tratamento fisioterapêutico. RESULTADO: Segundo a literatura, grande parte dos lactentes tratados com técnicas como vibro-compressão, tapotagem e aspiração brônquica, obtiveram resultados significativos na mobilização e eliminação de secreções, redução da resistência das vias aéreas e melhora da relação ventilação/perfusão. CONCLUSÃO: A fisioterapia respiratória é fundamental no tratamento agudo da bronquiolite, prevenindo complicações e sequelas, como obstrução crônica e sobrecarga cardiorrespiratória.
Publicado
2017-08-01
Como Citar
GONÇALVES, Ana Claudia et al. BRONQUIOLITE: A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NAS SEQUELAS DE BRONQUIOLITE NO LACTENTE. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FUNEC, [S.l.], v. 7, n. 7, ago. 2017. ISSN 2318-745X. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path%5B%5D=2492>. Acesso em: 26 set. 2017.