AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA DA LIPASE FÚNGICA DE THERMOMYCES LANUGINOSUS IMOBILIZADA EM SUPORTE DE NANOCRISTAIS DE ZEÓLITA FAUJASITA NAX TROCADA COM CÉRIO

  • Suhelen Tannús de ALMEIDA
  • José Geraldo NERY
Palavras-chave: Nanozeólita, Imobilização, Nanotecnologia.

Resumo

INTRODUÇÃO: A zeólita é um mineral pertencente ao grupo dos aluminossilicatos cristalinos, possuindo estrutura tetraédrica podendo ser trocada ionicamente com cátions. O uso de zeólitas como suporte de imobilização enzimática é considerado a maneira mais propícia de combinar as vantagens de ambos os catalisadores e reutilizar a enzima. Este trabalho buscou avaliar a atividade enzimática da lipase fúngica de Thermomyces lanuginosus imobilizada em uma nanozeólita faujasita trocada com cério como suporte. OBJETIVO: Sintetizar a zeólita NaX na escala nanométrica e seu derivado de troca iônica com íon Cério e realizar ensaios enzimáticos para quantificação de enzima imobilizada no suporte e avaliar a atividade enzimática da lipase de Thermomyces lanuginosus imobilizada no suporte zeolítico. METODOLOGIA: Os reagentes químicos utilizados para a preparação das nanozeólitas de Fau foram: aluminato de sódio, NaOH, Sílica e água destilada. Para a troca iônica foi utilizado solução de CeCl2, 0,1 M. A adsorção da lipase no suporte foi realizada á temperatura ambiente e agitada por 200 rpm por 16 horas. RESULTADO: O complexo Nano-X/Ce/0,1M após troca iônica apresentou 22,0 U/mg suporte de atividade enzimática. A atividade enzimática para o suporte de Cério derivado de troca iônica é uma forte indicação de que a atividade enzimática também está relacionada com o cátion presente na estrutura do suporte nanozeolítico. Com relação a quantidade de enzima imobilizada observou-se o valor de 12,0%. CONCLUSÃO: Os resultados apresentados mostraram que é possível imobilizar a lipase de Thermomyces lanuginosus em um suporte zeolítico trocado com cério e apresentou atividade enzimática significante para possíveis aplicações catalíticas.
Publicado
2017-07-24