FERTILIZAÇÃO IN VITRO DA ORQUÍDEA LAELIA PURPURATA UTILIZANDO MEIO DE CULTURA QUÍMICO E CASEIRO

  • Flávia Clemente de OLIVEIRA
  • João Aldo ZANACHI

Resumo

INTRODUÇÃO: As orquídeas (orchidaceae) classificação superior denominada de Aspargales apresentam um grande potencial alimentício, cosmético e medicinal. Elas estão entre as plantas mais comercializadas, apreciadas, cultivadas e exploradas em todo mundo. Em uma determinada área, são consideradas como bioindicadoras do grau de preservação, o que possibilita inferir a respeito do estágio sucessional em que um ambiente se encontra apenas observando a densidade de orquídeas presente no local. No meio ambiente tem sido muito rápida a velocidade em que tem sido degradada esta espécie, existe muito extrativismo predatório surgindo assim uma preocupação em conservar o gênero dessa família. Sua comercialização e colecionadores dessa planta vem aumentando cada dia mais. OBJETIVO: O objetivo do presente trabalho foi estudar o método de fertilização in vitro. METODOLOGIA: A metodologia utilizada para este trabalho contou com a pesquisa bibliográfica e de campo, no qual foi desenvolvida no laboratório das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul. RESULTADO: Os resultados do meio de cultura químico com as substâncias ágar ágar inseridas nas plântulas para se desenvolverem melhor, chegando a 1 mm de altura em 3 meses. Os resultados do meio de cultura caseiro incluem a utilização de açúcar, água de coco, ágar ágar e carvão ativado nas plântulas ainda estão em desenvolvimento. CONCLUSÃO: Conclui-se, portanto que o meio de cultura químico é mais eficaz que o meio de cultura caseiro, pois as plântulas se desenvolveram apenas no meio de cultura químico.
Publicado
2017-07-24
Como Citar
OLIVEIRA, Flávia Clemente de; ZANACHI, João Aldo. FERTILIZAÇÃO IN VITRO DA ORQUÍDEA LAELIA PURPURATA UTILIZANDO MEIO DE CULTURA QUÍMICO E CASEIRO. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FUNEC, [S.l.], v. 7, n. 7, jul. 2017. ISSN 2318-745X. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=forum&page=article&op=view&path%5B%5D=2450>. Acesso em: 26 set. 2017.