ANÁLISE AMBIENTAL DA MICROBACIA DO CÓRREGO RONDINHA EM APARECIDA DO TABOADO - MS

  • Renata Antunes BUENO
  • Mariangela Pereira ALCAZAS
  • Ana Flávia Bento FERMINO
  • Sandro Alves CORRÊA
Palavras-chave: Microbacia, Córrego Rondina, Urbanização, Área de preservação permanente

Resumo

INTRODUÇÃO: A biodiversidade e os recursos hídricos são importantes para a manutenção e o equilíbrio da vida no planeta Terra, a atual preocupação nas áreas urbanas é escassez de água potável devido a poluição e contaminação desses recursos pelas ações antrópicas, exigindo medidas mitigadoras para amenizar os impactos causados. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi realizar um diagnóstico ambiental da microbacia do Córrego Rondinha em Aparecida do Taboado-MS. METODOLOGIA: Foram realizadas análises in loco com registros fotográficos e imagens de satélites utilizando software Google Earth. RESULTADO: Pode-se constatar que a nascente é do tipo várzea com várias áreas alagadas. A fauna existente é diversificada e pela análise in loco, os relatos de moradores constatou a presença de espécies típicas do estado de Mato Grosso do Sul, como: sucuri, jacaré, macaco bugio e pato selvagem. A vegetação predominante é cerrado com presença de buritizais e veredas. No município o córrego é utilizado como corpo receptor de efluentes da estação de tratamento de esgoto. O córrego possui vegetação ciliar esparsa, aproximadamente 24% do curso sem nenhuma vegetação, 76% de vegetação parcial e alguns pontos com depósito de resíduos sólidos urbanos. As áreas entorno do córrego apresentam sinais de antropização com ausência de vegetação em área de preservação permanente (APP). CONCLUSÃO: Conclui-se que a microbacia apresenta um processo de degradação em andamento já que está sendo invadida pela área urbana. Assim, em função da biodiversidade existente e importância do córrego para a região, estudos mais detalhados associados à políticas públicas de conservação são necessárias e urgentes.
Publicado
2017-07-24