CARACTERIZAÇÃO DAS REABSORÇÕES RADICULARES INFLAMATÓRIAS INTERNA E EXTERNA: NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ACERCA DO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

  • Christine Men MARTINS (44) 9927-8314 / (18) 4141-3169
  • Fabrício Silva BIANCHINI Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Felipe Augusto Maciel SOARES Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Izabella Pereira Ribeiro SANCHES Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec
  • Natany Karollyne Oliveira COSTA Fundação Municipal de Educação e Cultura - Funec

Resumo

As reabsorções dentárias patológicas frequentemente se referem à dentição permanente e, dependendo de sua proporção, podem levar à perda da estrutura dentária. Um exemplo desse tipo de reabsorção é a radicular inflamatória dentária, que apresenta origem multifatorial e leva à destruição interna ou externa da raiz. Seu diagnóstico é difícil de ser realizado e o profissional deve estar atento às características sintomatológicas e radiográficas de cada uma delas. O objetivo do presente estudo foi caracterizar as reabsorções radiculares inflamatórias internas e externas e avaliar o nível de conhecimento dos profissionais quanto ao seu diagnóstico diferencial. Para isso, foi realizado um levantamento de dados secundários em revistas nacionais e internacionais e livros relacionados ao tema e aplicado um questionário a 60 profissionais da área. O questionário simples continha uma imagem de reabsorção externa que foi aplicado a profissionais especialistas em endodontia (n=30) e clínicos gerais (n=30), a fim de que respondessem se o caso tratava de reabsorção interna ou externa e a justificativa para a escolha. Dos profissionais entrevistados, 43 responderam que se tratava de reabsorção interna e 16 responderam que se tratava de reabsorção externa (p<0.05). No entanto, foi observado que, apesar da maioria dos profissionais ter respondido erroneamente, muitos sugeriram a necessidade de mais tomadas radiográficas com angulações diferentes e/ou tomografia computadorizada para o diagnóstico diferencial. Conclui-se que a maioria dos profissionais respondeu de forma equivocada ao caso clínico apresentado, no entanto foi detectada a instrução de alguns profissionais quanto à necessidade de exames complementares para o diagnóstico preciso.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Formada em Odontologia pela Universidade Estadual de Maringá em 2010. Mestre em Odontologia, área de concentração Clínica Integrada, pela Faculdade de Odontologia de Araçatuba / UNESP em 2013. Realizou estágio no Exterior, no Forsyth Institute / Harvard School of Dental Medicine durante 2014-2015. Doutora em Ciência Odontológica, área de concentração Endodontia, pela Faculdade de Odontologia de Araçatuba / UNESP em 2016. Ocupa o cargo efetivo de Professor Titular Universitário l da disciplina de Clinica Integrada na Fundação Municipal de Educação e Cultura - FUNEC. Professora do curso de Especialização em Endodontia do Instituto Macapense do Melhor Ensino Superior. Cirurgiã-Dentista Clínica Geral e Endodontista em consultório particular.

Referências

1. Gold SI, Hasselgren G. Peripheral inflammatory root resorption: a review of the literature with case reports. J Clin Periodontol. 1992; 19(8):523-34.
2. Lyroudia KM. Internal root resorption studied by radiography, stereomicroscope, scanning electron microscope and computerized 3D reconstructive method. Dent Traumatol. 2002; 18(3):148-52.
3. Consolaro A. Reabsorções dentárias nas especialidades clínicas. Maringá: Dental Press; 2002.
4. Kirschneck C, Meier M, Bauer K, Proff P, Fanghänel J. Meloxicam medication reduces orthodontically induced dental root resorption and tooth movement velocity: a combined in vivo and in vitro study of dental-periodontal cells and tissue. Cell Tissue Res. 2017 Apr;368(1):61-78.
5. Bastos JV, Silva TA, Colosimo EA, Côrtes MI, Ferreira DA, Goulart EM, Gomez RS, Dutra WO. Expression of Inflammatory Cytokines and Chemokines in Replanted Permanent Teeth with External Root Resorption. J Endod. 2017 Feb;43(2):203-209.
6. Machado R, Leoni GB, Yarid P, Cruz-Filho AM, Sousa-Neto MD. Idiopathic external apical root resorption: clinical report of 2 cases. Gen Dent. 2017 Mar-Apr;65(2):62-65.
7. Umashetty G, Hoshing U, Patil S, Ajgaonkar N. Management of Inflammatory Internal Root Resorption with Biodentine and Thermoplasticised Gutta-Percha. Case Rep Dent. 2015 Oct; 2015:1-4.
8. Lima TF, Gamba TO, Zaia AA, Soares AJ. Evaluation of cone beam computed tomography and periapical radiography in the diagnosis of root resorption. Aust Dent J. 2016 Dec;61(4):425-431.
9. Gulabivala K, Searson LJ. Clinical diagnosis of internal resorption: an exception to the rule. Int Endod J. 1995;28(5):255-60.
10. Haapasalo M, Endal U. Internal inflammatory resorption: the unknown resorption of the tooth. Endod Topics. 2006;14:60–79.
11. Patel S, Dawood A, Wilson R. The detection and management of root resorption lesions using intraoral radiography and cone beam computed tomography – an in vivo investigation. Int Endod J. 2009;42:831–8.
12. AAE and AAOMR Joint Position Statement: use of cone beam computed tomography in endodontics 2015 update. J Endod. 2015;41:1393–6.
Publicado
2017-06-30
Como Citar
MARTINS, Christine Men et al. CARACTERIZAÇÃO DAS REABSORÇÕES RADICULARES INFLAMATÓRIAS INTERNA E EXTERNA: NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS ACERCA DO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL. REVISTA FUNEC CIENTÍFICA - ODONTOLOGIA - ISSN 2526-9682, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 15-21, jun. 2017. ISSN 2526-9682. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=RFCO&page=article&op=view&path%5B%5D=http%3A%2F%2Fseer.funecsantafe.edu.br%2Findex.php%3Fjournal%3DRFCO%26page%3Darticle%26op%3Dview%26path%255B%255D%3D2401>. Acesso em: 25 set. 2017. doi: https://doi.org/10.24980/rfco.v1i1.2401.