O ENFRENTAMENTO DOS ESTRESSORES INTERNOS NA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL

  • Ronaldo ROSSI
  • Rodrigo de Almeida LOPES
  • Rosângela Fátima da COSTA

Resumo

O estresse, segundo a OMS, atinge cerca de 90% da população mundial e está associado a uma série de doenças, como a depressão, diabetes, hipertensão, entre outras. Esta pesquisa tem o objetivo de descrever como a terapia cognitiva comportamental promove, através da reestruturação cognitiva, o enfrentamento dos estímulos internos que provocam o estresse, já que para esta abordagem psicoterápica o que desencadeia o estresse não é o fato em si, mas a forma como o indivíduo percebe a situação e a interpreta. Essa pesquisa é de cunho bibliográfico, baseada em artigos científicos, livros, revistas e internet, fundamentada em estudos de especialistas no estresse. Observou-se que os fatores internos são os grandes geradores de estresse para uma pessoa, apesar do potencial de estresse que há nas situações vividas diariamente. Nesse sentido, o seu enfrentamento se faz de forma mais eficaz através da reestruturação cognitiva, que se vale de diversas técnicas comportamentais e cognitivas, como o questionamento socrático, o role-play, o continuum cognitivo, entre outras, para modificar as crenças centrais, intermediárias ou pensamentos automáticos disfuncionais do indivíduo, levando-o a uma nova maneira de perceber a vida.
 
Publicado
2017-04-03
Como Citar
ROSSI, Ronaldo; LOPES, Rodrigo de Almeida; COSTA, Rosângela Fátima da. O ENFRENTAMENTO DOS ESTRESSORES INTERNOS NA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL. ANAIS DA SEMANA DE PSICOLOGIA / CONFERÊNCIA DE ESTUDOS PSICOLÓGICOS, [S.l.], v. 3, n. 3, abr. 2017. ISSN 2358-5455. Disponível em: <http://seer.funecsantafe.edu.br/index.php?journal=ASP&page=article&op=view&path%5B%5D=2371>. Acesso em: 23 set. 2017.